Polícia: explosão no Central Park não foi atentado

Da Agência Sputnik Brasil

A polícia da Nova York não tem motivo para acreditar que a explosão no Central Park foi um atentado terrorista, disse o representante da polícia de segurança pública, John O'Connell.

O incidente ocorreu perto do local onde era realizada a cerimônia fúnebre do escritor americano de origem judaica Elie Wiesel, do Prêmio Nobel da Paz de 1986. Segundo os dados do portal de informação New York Daily News, a explosão arrancou o pé de um jovem de 18 anos, turista do estado da Virgínia.

Não temos indicações de que essa explosão tenha algo a ver com terrorismo", informa a emissora norte-americana CNN, citando O'Connell. A explosão, provavelmente, foi "resultado de um experimento".
Inicialmente, a polícia informou que fogos de artifício haviam provocado o acidente.

O uso de fogos de artifício é muito comum nos Estados Unidos em datas festivas. Nesta segunda-feira, 4 de julho, será comemorado o aniversário da independência do país. Segundo testemunhas, a explosão não foi grande.

De acordo com John O'Connell, o embrulho com um explosivo fraco, que pode ser produzido por um amador usando objetos comuns, estava no local do incidente há mais de 24 horas. O policial disse que nada "indica perigo ou ameaça" ao 4 de julho, feriado nacional.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos