Secretaria de Saúde de SP faz plano de contingência para partidas da Rio 2016

Camila Boehm - Repórter da Agência Brasil

A Secretaria de Saúde do estado de São Paulo, junto ao Comitê Paulista das Olimpíadas, definiu um plano de contingência para garantir atendimento médico em eventuais situações de emergência durante a realização de partidas de futebol da Rio 2016 na capital paulista, que ocorrerão na Arena Corinthians entre 3 e 19 de agosto. Equipes estarão de prontidão nas imediações e dentro do estádio, segundo a secretaria.

"Os Jogos Olímpicos representam um evento de grande proporção, que atrai delegações, torcedores e turistas de todo o mundo, aumentando o fluxo de circulação de pessoas em São Paulo. Elaboramos um plano de contingência para oferecer estrutura e equipes qualificadas para atuar no resgate e atendimento médico", disse o secretário estadual de Saúde de São Paulo, David Uip.

O esquema também inclui hospitais de campanha, helicóptero e medidas que garantam rapidez e eficiência no socorro. "Nos dias com partidas no Itaquerão, duas tendas infláveis, em um raio de um quilômetro do estádio, poderão ser montadas para funcionar como hospitais de campanha, com equipes formadas por médicos e enfermeiros à disposição para atendimentos emergenciais, além de equipamentos, remédios e itens de primeiros socorros. Elas só serão armadas em caso de necessidade", informou a secretaria, em nota.

O plano, de acordo com o governo estadual, é similar ao traçado para a Copa do Mundo, em 2014, e foi reformulado para os Jogos Olímpicos considerando as características do evento. Nas proximidades do estádio, também poderá ser instalado um corredor com barracas chuveiro e chuveiros infláveis para o processo de descontaminação em caso de emergências químicas e bioterrorismo.

Durante o horário das partidas, cerca de 30 médicos e enfermeiros do Grupo de Resgate e Atenção às Urgências e Emergências (Grau) estarão de prontidão na Arena Corinthians e em locais estratégicos, como uma base dos Bombeiros próxima ao Aeroporto de Guarulhos e na zona leste da cidade, como a estação de metrô Corinthians-Itaquera. Uma equipe da Central de Regulação dará apoio para o encaminhamento de vítimas a hospitais, se necessário.

"Entre 2015 e 2016, a pasta organizou e realizou quatro grandes treinamentos, teóricos e práticos, nas áreas de atendimento a emergências químicas, terrorismo e bioterrorismo, ações táticas, emergências nucleares e comando de incidentes. No total, 200 médicos e enfermeiros foram capacitados", informou a secretaria.

A princípio, treze hospitais serão utilizados para encaminhamento de torcedores feridos, em caso de necessidade. Em uma situação excepcional, em que haja muitas vítimas, todos os hospitais da região metropolitana serão acionados.

Aedes aegypti

Um reforço às estratégias de prevenção e combate ao Aedes aegypti também foi programado. A Superintendência de Controle de Endemias, autarquia vinculada à secretaria de saúde, intensificou ações de bloqueio de criadouros do mosquito.

"Cerca de 1,5 mil agentes atuarão na eliminação de potenciais focos do mosquito em pontos turísticos, proximidades de centros de treinamento, hotéis, restaurantes e locais de maior movimento durante o período."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos