WikiLeaks é bloqueado na Turquia

Da Agência Sputnik Brasil

A organização WikiLeaks informou hoje (20) o bloqueio de seu site em todo o território da Turquia, após a publicação da primeira parte de um conjunto de documentos relativos ao partido que governa o país.

"WikiLeaks recebeu uma determinação sobre o bloqueio [do site] em toda a Turquia, após a publicação de 300 mil correspondências eletrônicas do partido de Erdogan [presidente turco]" - diz um comunicado da organização, publicado em sua página oficial no Twitter.

Anteriormente, o portal havia anunciado que tornaria públicos mais de 100 mil documentos que revelam a estrutura política do atual governo da Turquia. Mais tarde, no entanto, a informação foi atualizada, sendo ao todo 500 mil documentos e 300 mil correspondências eletrônicas a serem publicadas.

Na noite de sexta-feira (15), as autoridades turcas anunciaram que o país estava sofrendo uma tentativa de golpe militar. O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, convocou o povo às ruas para "defender a democracia" e responsabilizou o clérigo opositor turco Fethullah Gulen de orquestrar o golpe a partir dos Estados Unidos, onde vive.

O levante foi reprimido ainda na madrugada de sábado (16), com o primeiro-ministro turco Binali Yildirim afirmando que todos os golpistas haviam sido identificados e seriam punidos. Mais de 290 pessoas foram mortas e centenas ficaram feridas durante os eventos. Até agora, quase 6 mil pessoas já foram detidas por suspeita de envolvimento no golpe fracassado. Fethullah Gulen nega todas as acusações contra ele.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos