Torcedores do Santos são presos por briga com corintianos em junho

Elaine Patricia Cruz - Repórter da Agência Brasil

Nove torcedores do Santos Futebol Clube foram presos hoje (26), na Operação Aquarius, por terem participado de uma briga contra torcedores do Corinthians na estação Penha de Metrô, na zona leste da capital paulista, no dia 1º de junho. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, os presos fazem parte da Torcida Jovem do Santos. Um dos presos é o presidente da torcida, Denis de Almeida.

O nome da operação foi dado em referência ao apelido com que é conhecido o clube, "peixe". Para a polícia, o nome Aquarius deriva do fato de que "vários peixes foram pegos" hoje na operação.

"Mesmo com a determinação da Justiça e da Secretaria de Segurança Pública de jogos, em São Paulo, com torcida única, ocorreu uma briga, no dia 1º de junho, no Metrô Penha, envolvendo a torcida Jovem do Santos e torcedores do Corinthians", afirmou Margareth Barreto, da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi). "O estado não pode mais subsistir com esse tipo de coisa. Precisamos mesmo coibir esse tipo de prática", disse.

Nenhum torcedor do Corinthians foi preso. "Até o momento, nenhum torcedor do Corinthians foi identificado, porque as torcidas não costumam procurar a polícia para investigar esses crimes", acrescentou.

Os torcedores presos foram reconhecidos por meio de imagens de segurança cedidas à polícia pelo Metrô. Eles foram indiciados por provocação e tumulto, lesão corporal e roubo, já que a camisa de um torcedor do Corinthians foi levada no confronto. "Durante a ação, eles subtraem objetos, que viram troféus na mão da torcida. Foram subtraídas camisetas dos torcedores corintianos, então eles também estão sendo investigados pela prática de roubo", disse a delegada. Eles devem ficar presos por cinco dias no 77o Distrito Policial.

Segundo a delegada, o que chamou a atenção na operação foi o fato de uma mulher ter participado da briga. A mulher, cujo nome não foi divulgado, foi presa hoje, durante a operação. "Sabemos da participação de mulheres, principalmente na direção de carros para desbaratinar o transporte de materiais como materiais de combate, mas, na cena do crime, nunca tínhamos visto. Essas imagens [do metrô] captaram uma mulher na cena do crime", ressaltou.

Além das prisões, a polícia também cumpriu nove mandados de busca e apreensão. "Foram apreendidos objetos de torcida, mas a camisa subtraída não foi localizada", disse a delegada.

A Agência Brasil tentou contato com a torcida Jovem, do Santos, mas não obteve sucesso até este momento.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos