Brasil, Argentina e Paraguai querem decidir impasse do Mercosul em duas semanas

Paulo Victor Chagas - Repórter da Agência Brasil

O presidente interino Michel Temer se reuniu reservadamente com os presidentes da Argentina, Maurício Macri, e do Paraguai, Horácio Cartes, para discutir a situação da presidência do Mercosul. Juntos, os três decidiram debater o assunto mais profundamente após o dia 12 de agosto, quando se encerra o prazo para que a Venezuela passe a incorporar o conjunto normativo do bloco.

O impasse sobre a presidência do Mercosul é discutido desde a semana passada, quando o Uruguai declarou que deixaria o posto após os seis meses de praxe. O próximo a assumir, de acordo com as regras internas, seria a Venezuela, mas os três países cujos representantes se encontraram hoje se opõem por causa da atual situação política do país.

Requisitos

Os três conversaram rapidamente durante a recepção que Temer fez aos chefes de Estado e de Governo que participarão da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos. Na conversa, ficou definido que será feita um "exame mais aprofundado" sobre o assunto depois de sexta-feira (12), que é o prazo para o país vizinho ingressar plenamente no bloco segundo seu cronograma de adesão.

Para o Uruguai, não há argumentos jurídicos que impeçam a transferência da presidência temporária do bloco para a Venezuela, mas Argentina, Brasil e Paraguai se opõem.

O governo brasileiro defende que o país não tem condições de assumir porque ainda não cumpriu os requisitos do Mercosul.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos