Prefeito do Recife perde reeleição por pequena margem e vai para o segundo turno

Sumaia Villela - Correspondente da Agência Brasil

Confirmando a previsão das últimas pesquisas eleitorais, o prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), foi o primeiro colocado na disputa pelo comando do poder executivo na capital pernambucana. Apesar de não conquistar a reeleição no primeiro turno por uma pequena margem, o socialista diz que não ficou decepcionado com o resultado, e afirmou ter "disposição" para o segundo turno da eleição.

"A gente quer ganhar a eleição para governar por quatro anos, e governa por quatro anos quem ganha no primeiro ou no segundo turno. Nós tivemos uma votação muito expressiva, além do que todo mundo projetou e esperou, ficamos felizes com esse resultado", disse o prefeito.

Com 49,34% - ou 430.997 - dos votos válidos, Geraldo Júlio ficou 25 pontos percentuais à frente do seu oponente no segundo turno, o ex-prefeito do Recife, João Paulo (PT), que conquistou 23,76% dos sufrágios. O prefeito não conseguiu repetir o feito de sua primeira eleição, quando chegou à prefeitura no primeiro turno, escolhido por 51,15% dos eleitores.

Servidor concursado do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE) e até então ocupante de cargos em secretarias e no Porto de Suape, Geraldo nunca tinha disputado uma eleição antes de 2012. Na época, contou com o apoio do seu maior cabo eleitoral, o então governador de Pernambuco, Eduardo Campos, também do PSB. A coligação do prefeito, Frente Popular do Recife, possui 21 partidos. Questionado se vai buscar apoio dos candidatos derrotados no primeiro turno, Geraldo Júlio afirmou que está "aberto" a novas alianças:

O ex-prefeito João Paulo (PT), obteve 23,76% - ou 207.529 - dos votos válidos. O candidato falou com jornalistas depois da divulgação do resultado. Ele atribuiu o desempenho eleitoral a "uma conjuntura extremamente difícil", fazendo menção, inclusive, às acusações contra o PT, e disse que a militância do partido fez "milagre" na campanha. "Fizemos uma campanha em condições muito adversas, seja pelo número de candidatos a vereador, seja pelo tempo de televisão, de rádio, uma carência muito grande de recursos, mas nós conseguimos um feito", afirmou.

João Paulo teve 2 minutos e 33 segundos de rádio e TV, enquanto Geraldo Julio teve 4 minutos e 48 segundos, de acordo com as regras eleitorais. Quanto aos recursos utilizados, foi declarado, até agora, à Justiça Eleitoral um total de R$ 1.296.472 pelo petista (a maior parte, R$ 985.822, doada pelo PT), e R$ 2.113.900 pelo socialista (tudo proveniente do PSB).

Os outros candidatos foram Daniel Coelho (PSDB), com 18,59% dos votos válidos; Priscila Krause (DEM), 5,43%; Edilson Silva (PSOL), 2,10%; Carlos Augusto (PV), 0,62%; Simone Fontana (PSTU), 0,12% e Pantaleão (PCO), 0,05%.

Dos 1.119.245 eleitores do Recife, 992.713, ou 88,69% , compareceram às urnas. Votos brancos e nulos somam 12,01%, ou 119.228 do total. Somados às abstenções, 245.760 pessoas não digitaram na urna o número de um candidato específico, número maior que a quantidade de votos conquistada pelo segundo colocado e mais da metade dos sufrágios do primeiro colocado.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos