Movimentos deixam prédio da Presidência em SP, estudantes ainda ocupam local

Elaine Patricia Cruz - Repórter da Agência Brasil

Os manifestantes de movimentos de luta por moradia que fizeram um protesto hoje (10) pela Avenida Paulista, em São Paulo, já deixaram o local. Após representantes do movimento terem protocolado um documento com reivindicações no escritório da Presidência da República, na Avenida Paulista, eles começaram a deixar o local por volta das 20h15 de hoje.

No entanto, os estudantes secundaristas que hoje ocuparam o mesmo prédio, poucas horas antes da chegada dos movimentos de moradia, continuam ocupando o terceiro andar do escritório da Presidência, sem previsão de saída. Tanto estudantes quanto os manifestantes da luta por moradia protestavam hoje contra a aprovação da PEC 241.

Documento protocolado

No documento que foi protocolado hoje no escritório da presidência da República, os movimentos União Nacional por Moradia Popular, Central de Movimentos Populares, Movimento Nacional de Luta por Moradia, Movimento de Lutas de Bairros e Favelas e a Confederação Nacional das Associações de Moradores questionam a paralisação do Programa Minha Casa, Minha Vida.

"Hoje estamos nas ruas para questionar as medidas do governo federal, que paralisaram o Programa Minha Casa, Minha Vida, impedindo o acesso de milhares de famílias que ganham até três salários mínimos à moradia digna", diz o documento. "Manifestamos também nosso repúdio sobre a PEC 241, que avança sobre os direitos dos trabalhadores, retira direitos sociais, bem como outras medidas que diminuam recursos da área social".

Ao final do documento, os movimentos pedem a retomada das seleções e contratações do Programa Minha Casa, Minha Vida. "Viemos fazer uma manifestação em defesa dos programas habitacionais para baixa renda do Programa Minha Casa, Minha Vida que foram cancelados, interrompidos desde maio, quando esse governo assumiu. Casualmente, como a PEC 241 está em votação hoje, também teve a manifestação dos estudantes. E a gente se soma e se solidariza ao movimento dos estudantes porque essa também é a nossa luta, contra a PEC 241", disse Evaniza Rodrigues, da União Nacional por Moradia Popular. Hoje, segundo ela, a pauta foi protocolada, mas os manifestantes não conseguiram ser atendidos por ninguém do governo.

Estudantes

Por volta das 17h20 de hoje, estudantes secundaristas entraram de surpresa no escritório da Presidência da República e ocuparam o terceiro andar do local, onde permanecem até este momento. O ato, até este momento, ocorre de forma pacífica, mas o prédio está cercado por policiais, que impedem que outras pessoas possam acessar o prédio, tal como jornalistas, que não puderam subir ou entrar no prédio.

Há também um grupo de estudantes na calçada, em frente ao prédio, gritando em apoio ao grupo que está do lado de dentro. Os estudantes que estão do lado de fora informaram à Agência Brasil que pretendem permanecer no local, em vigília.

Segundo Evaniza, que ao subir para protocolar o documento dos movimentos de moradia se deparou com o grupo de estudantes no terceiro andar, eles estão bem. "Conversamos com eles, mas eles estão sem água e sem poder usar o banheiro. Eles estão aguardando um retorno da própria Presidência, que não abriu negociação. Até o momento não houve qualquer violência e esperamos que continue assim", disse.

Um dos policiais que monitorava a ação dos estudantes disse que estão sendo abertas negociações com eles para que deixem o prédio.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos