Outubro Rosa leva conscientização sobre câncer de mama à Uerj

Akemi Nitahara - Repórter da Agência Brasil

 

Como parte das ações mundiais do Outubro Rosa, que visa alertar sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama, foi lançada oficialmente nesta terça-feira (11), na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), a campanha "A Uerj veste rosa na luta contra o câncer de mama".

A sub-reitora de Extensão da Uerj, Elaine Torres, disse que a universidade tem que dar o exemplo para a comunidade, por ser um núcleo de disseminação do conhecimento. Além disso, o público feminino na Uerj é muito grande, com mais de 3 mil professoras, 1.500 funcionárias e cerca de 14 mil alunas. "Lembrando [ainda] que os nossos alunos, funcionários e professores têm mães, têm irmãs. [Então, temos] um efeito multiplicador muito grande de informação", disse.

A campanha ressalta a importância das mulheres fazerem o exame da mamografia a partir dos 50 anos e das mais jovens fazerem o autoexame. Além disso, visa cobrar políticas públicas mais eficientes para garantir os direitos e o acolhimento das mulheres.

"Não temos só que sensibilizar a mulher, mas ter políticas públicas para elas terem acesso a esse exame. Hoje em dia você tem mamografia gratuita, mas tem que ir ao médico antes para ele encaminhar. No estado de São Paulo já tem um sistema que agenda automático. Aqui esse trâmite demora muito e pode atrapalhar no diagnóstico precoce", explicou Elaine Torres.

As atividades do Outubro Rosa na Uerj começaram sexta-feira, com um debate sobre a saúde feminina. Na próxima semana haverá uma feira da saúde da mulher, uma feira de produtos orgânicos e, no dia 27, o lançamento de um curta-metragem sobre o tema. No próximo mês, a  universidade participa da campanha Novembro Azul, de conscientização sobre o câncer de próstata.

Ônibus Lilás

Outra ação na Uerj é o esclarecimento de mulheres prestado no Ônibus Lilás, da Subsecretaria de Políticas para as Mulheres da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos do Rio, dentro da campanha Por Elas.

"É um ônibus [com] uma equipe multidisciplinar, com advogada, psicóloga, assistente social, e que dá apoio às comunidades. Geralmente a gente faz uma ação social e leva esse ônibus para falar sobre violência doméstica, distribuir cartilha, informar as mulheres [sobre] medidas protetivas e os seus direitos. Porque muitas são violentadas, mas têm medo de denunciar, explicou a subsecretária, Marizete Waineraich.

O trabalho começou na semana passada, quando o ônibus ficou no campus de Seropédica da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Marizete explica que a ideia de fazer a campanha nas universidades surgiu depois do relato de casos seguidos de estupro na UFRRJ, denunciados em uma audiência pública na Assembleia Legislativa do Rio.

"Na audiência conheci as meninas que relataram tudo sobre a violência e estupro na universidade. Isso me incentivou a ir nas universidades falar da violência. Estamos vivendo uma situação de violência muito grave. Tem a lei nova do feminicídio, porque [isso] é muito grave, os homens estão matando [as mulheres] por nada, às vezes por ciúme, por causa de drogas. Isso está acontecendo com os jovens também. A menina termina o namoro, o rapaz não aceita e mata", disse.

Na Uerj, o Ônibus Lilás funcionará na quinta (13) e sexta-feira (14) das 10h às 18h. Na próxima semana ele irá para a UFRJ, depois para a Unirio e, por fim, para a UFF. "O ônibus não trabalha só com a questão da violência contra a mulher, mas [também sobre] como tirar carteira de trabalho, como ter acesso a direitos da saúde e direitos de uma forma geral", diz a pró-reitora Elaine.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos