Artistas brasileiros participam de festival de arte em Lisboa

Marieta Cazarré - Correspondente da Agência Brasil


Lisboa recebe, até domingo (16), na Cordoaria Nacional, o Vera World Fine Art Festival, que reúne mais de cem artistas de 25 países, com obras de pintura, escultura, fotografia, desenho e instalações. O festival, que ocorre há dez anos em Moscou, na Rússia, tem sua terceira edição na capital lusitana.

Para Felipe Monsanto, fotógrafo brasileiro radicado em Lisboa, participar do festival é uma oportunidade única: "É fantástico, pois junta artistas de diversos países e temos o privilégio de expor ao lado de nomes muito importantes da arte contemporânea".

Para o artista e galerista gaúcho Renato Rodyner, o festival de artes plásticas é inovador e aproxima os artistas do público. "Existe festival de cinema, de teatro, de música, mas festivais de artes plásticas quase não há. O Vera traz a possibilidade de se descobrir novos talentos, de se expor novas técnicas e tendências da arte. Há muitas feiras de arte aonde apenas os galeristas têm acesso. Aqui, o artista tem a liberdade de ter o seu espaço", afirmou o artista, dono da R. Rodyner Gallery, em Cascais.

O evento é organizado pela Fundação World Without Borders (WWB) e pela Fundação Pública de Apoio à Cultura e ao Desenvolvimento da Arte Contemporânea de Moscou e conta com a curadoria da russa Vera Kiselev. Um dos objetivos do festival é reforçar a cooperação internacional entre artistas de diferentes países, por meio da arte. Além da exposição, haverá palestras, conferências e mesas redondas sobre os movimentos e tendências da arte contemporânea, presididos por artistas, críticos e curadores de arte.

Participam do evento nomes brasileiros como Marcos Marin, Moisés Preto Paulo, Marco Monteiro, Marcelo Fidélis, Ed Ribeiro, Dora Reuther, Carlos Saramago, Kamy Martins e João Nepomuceno. Há ainda artistas de Portugal, Angola, Guiné Bissau, Espanha, Rússia, Azerbaijão, Emirados Árabes Unidos, Turquia, Uzbequistão, Ucrânia, Bélgica, Geórgia, Argélia, Moçambique, Bulgária, Israel, Holanda, França, Áustria, Alemanha, Grécia, Moldávia, Reino Unido e África do Sul.

Nesta sexta-feira (14) haverá, no Teatro Tivoli, uma entrega de prêmios aos artistas que se destacarem nas categorias pintura, escultura, artes aplicadas, instalação, desenho, fotografia, museologia e arquitetura. Os prêmios serão definidos por um júri internacional presidido por Tahir Salahov, prestigiado artista do Azerbaijão. As edições anteriores contaram com figuras do mundo artístico e cultural como José Manuel Berardo, Pierre Cardin e Andrey Kiselev.

Rodyner destaca ainda que, além do reconhecimento por meio de prêmios, o festival permite que os artistas possam não apenas expor, mas também vender as suas obras. De acordo com a organização do evento, ao longo das várias edições, o festival atraiu mais de 4500 galerias e artistas de mais de 40 países, recebeu 2 milhões de visitantes e premiou mais de 200 artistas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos