RJ: esquema de segurança das urnas tem quase 10 mil policiais no 2º turno

Cristina Indio do Brasil

Da Agência Brasil

  • Fernando Frazão/Agência Brasil

A Polícia Militar do Rio de Janeiro (PMERJ) vai contar com 9.743 policiais no segundo turno das eleições municipais no Estado. Parte dos policiais iniciou na tarde deste sábado (29) a operação de escolta na distribuição das urnas da eleição deste domingo, informou a major Elaine Baldanza, sub-chefe da assessoria de comunicação da PM.

O serviço só terminará quando todas as urnas estiverem distribuídas e por questões estratégicas, algumas só serão levadas aos locais de votação às 5 horas do domingo. A major afirmou que isso não vai atrasar a abertura da eleição.

"Posso garantir que amanhã, no início do pleito eleitoral, todas as urnas estarão distribuídas pela Polícia Militar e terá pelo menos um policial em cada local de votação fazendo a guarda das urnas", disse, em entrevista à Agência Brasil.

Elaine informou que os policiais vão trabalhar exclusivamente na escolta e guarda das urnas. Nos locais de votação, além dos policiais militares também participam do esquema bombeiros e guardas municipais.

O restante das operações de segurança em todo o Estado será mantido com o policiamento normal. O Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e o Batalhão de Polícia de Choque (BPChq) também serão empregados estrategicamente neste domingo. "Além desse efetivo extra, nós também temos o policiamento dos batalhões que continuam acontecendo normalmente", disse.

Como apenas um número reduzido dos 92 municípios no Estado do Rio terá eleição de segundo turno, o efetivo também foi redimensionado. Elaine destacou, que, ainda assim, será um número suficiente para garantir a tranquilidade dos eleitores nas cidades de Niterói, Rio São Gonçalo, Petrópolis, Volta Redonda, Duque de Caxias, Belford Roxo e Nova Iguaçu.

Elaine Baldanza informou ainda que haverá um oficial da Polícia Militar em cada polo eleitoral em contato com o juiz responsável pela região para, em caso de impasse ou problema que surgir, ele possa direcionar o policiamento para resolver, imediatamente, a questão junto à zona eleitoral.

O plano de ação operacional da Polícia Civil para o segundo turno de eleições municipais também já começou e só termina às 8h de segunda-feira (31). O planejamento prevê o reforço dos efetivos em toda a capital, incluindo os 12 polos de autuação em delegacias da própria instituição constituídas de delegados e de agentes federais.

Segundo a instituição, haverá regime de plantão nas centrais de flagrantes e nas unidades operacionais para atender as ocorrências registradas na capital. Nos outros municípios, onde ocorrerá eleição de segundo turno, as unidades também estão reforçadas.

Em Duque de Caxias, Nova Iguaçu e Belford Roxo, foram enviadas equipes operacionais para o patrulhamento, em determinação do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE). As centrais estarão com equipes compostas por delegados e agentes para a realização dos trabalhos necessários.

Forças Armadas

O esquema de segurança da eleição conta, a partir deste sábado, com as Forças Armadas, conforme ocorrido no primeiro turno no apoio à PMERJ. Os militares estarão distribuídos em cinco municípios.

Para a Baixada Fluminense, foram destacados 1.411 integrantes do Exército, sendo 414 em Belford Roxo e 997 em Nova Iguaçu. Já na região metropolitana, serão 486. Em Niterói, ficarão 264 e em São Gonçalo, 222.

A capital fluminense é que contará com o maior efetivo. No município, serão 2.170 militares no esquema de segurança, incluindo as comunidades da Maré. Além disso, tropas serão deslocadas para Irajá, Curicica e Rio das Pedras. A escolha das regiões ficou a cargo do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE/RJ).

"O mesmo esquema de segurança do primeiro turno será utilizado para o segundo turno, nos locais onde houve necessidade de auxílio das Forças Armadas", disse a diretora-geral do TRE-RJ, Adriana Brandão.

Na manhã deste sábado, o TRE-RJ fez o sorteio das cinco urnas que são submetidas à auditoria por meio de votação paralela e serão utilizadas no domingo. Nesta tarde, houve a oficialização do sistema de gerenciamento para a transmissão e totalização dos votos no Estado.

A diretora destacou que a abertura das zonas eleitorais será às 8h, mas uma hora antes os locais já estarão preparados para receber os eleitores. Até às 7h30, os mesários farão a comprovação de que as urnas não têm votos computados, o chamado zero votos.

Adriana Brandão informou que no Estado do Rio não houve necessidade de mudança nos locais de votação, como ocorreu em outros lugares, onde estudantes ocupam escolas.

"Todos os locais de votação que funcionaram no primeiro turno permanecem os mesmos. As ocupações ocorreram em menor escala aqui no estado do Rio, e não interferiram no processo de votação", acrescentou.

Recomendações

Adiretora-geral do TRE-RJ lembrou que é proibido qualquer tipo de propaganda eleitoral em benefício de candidato ou de partido, o que é considerado boca de urna. Ao eleitor é permitido apenas a manifestação silenciosa e individual, por meio de adesivos ou porte de bandeiras.

"Nunca com aglomeração de eleitores, senão o ato pode se configurar em boca de urna, o que é crime. Qualquer propaganda eleitoral não é permitida", disse.

Apesar de terem ocorrido no primeiro turno, não são permitidos a distribuição e acúmulo dos chamados santinhos nos locais de votação. "A distribuição de material impresso só é permitido até as 22h da véspera da eleição", ressaltou a diretora-geral do TRE-RJ., Adriana Brandão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos