Ministro da Indústria diz que Trump sofrerá pressões caso adote medidas radicais

Daniel Mello e Fernanda Cruz - Repórteres da Agência Brasil

O ministro da Indústria e Comércio Exterior, Marcos Pereira, disse hoje (10) que acredita que o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, deverá sofrer contraponto caso tome medidas radicais sobre as relações comerciais com outros países. "O presidente, nos países verdadeiramente democráticos, pode muita coisa, mas não pode tudo", disse após participar da abertura do Salão Internacional do Automóvel, na capital paulista.

Para Pereira, caso o mandatário se exceda,  o mercado e a sociedade norte-americana deverão se manifestar, além de pressões externas. "O mercado, a política interna, as instituições internas e os organismos internacionais vão fazer ter equilíbrio, se por ventura houver algum desequilíbrio do novo governo americano", disse o ministro. Como candidato, Trump defendeu uma guerra comercial com a China, sobretaxando importações em até 45% e suspendendo acordos comerciais.

Na opinião de Pereira, o futuro presidente dos Estados Unidos já deu inícios que, na prática, agirá de forma mais branda do que a anunciada durante os últimos meses. "Eu acho que o discurso da campanha é um, o discurso da prática pode ser outro. Veja que o discurso dele [depois do resultado das eleições] já deu uma contemporizada. Chamou para governar para todos, com todos", disse.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos