Líderes mundiais falam sobre trajetória e morte de Fidel Castro

Iolando Lourenço - Repórter da Agência Brasil

O papa Francisco lamentou, em Roma,  a morte de Fidel CastroAgência Lusa/EPA/Giuseppe Lami/Direitos Reservados

A morte do líder cubano Fidel Castro repercutiu em várias partes do mundo. Líderes de diversas tendências políticas se manifestaram sobre a trajetória do comandante da Revolução Cubana. O papa Francisco, um dos negociadores da reaproximação dos Estados Unidos com Cuba depois demais de 50 anos de relações diplomáticas cortadas, lamentou a morte de Fidel.

"Ao receber a triste notícia da morte do excelentíssimo senhor Fidel Alejandro Castro Ruz, ex-presidente do Conselho de Estado e do governo da República de Cuba, expresso os meus sentimentos de dor aos familiares do defunto, assim como ao governo e ao povo desta amada nação", disse Francisco em um telegrama enviado a Raúl Castro, presidente de Cuba e irmão de Fidel.

Em telegrama enviado ao governo cubano, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, classificou Fidel como "símbolo de uma época inteira na história moderna". Para Putin, Castro contribuiu muito para as relações russo-cubanas e foi um homem que "encarnava os ideais de político, cidadão e patriota".

"A lembrança dele ficará para sempre nos corações dos cidadãos da Rússia", disse Putin no telegrama. O premier russo Dmitry Medvedev também prestou homenagens ao líder da Revolução Cubana dizendo, por meio de sua página do Facebook, que só foi possível construir a amizade entre o povo russo e cubano graças à participação de Castro.

Ao lamentar a morte de Fidel, o presidente chinês, Xi Jinping, disse hoje que a história e as pessoas vão se lembrar do líder cubano como "uma grande figura dos nossos tempos".

"A morte de Fidel Castro fez com que o povo chinês perdesse um companheiro íntimo e um amigo sincero. Sua gloriosa imagem e grandes conquistas vão ficar para história. O grande camarada Fidel Castro viverá nos valores do seu povo", disse o presidente chinês.

Partido Comunista chinês lamenta morte de Fidel

Também secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista da China, Xi Jinping prestou condolências a Raúl Castro em carta enviada ao governo cubano. "Em nome do Partido Comunista da China, do governo e do povo chineses, e em meu próprio nome, expresso minhas mais profundas condolências pela morte do camarada Fidel Castro e sinceras condolências à sua família", disse Xi Jinping.

O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, ressaltou que Fidel Castro é um "protagonista controverso, mas marcante" que teve um "peso" na América Latina e "até no mundo" tornando-se "mítico" no imaginário daqueles que o apoiavam.

"Fidel foi um protagonista controverso, mas marcante, que lutou por Cuba, quer na América Latina quer no que então se chamava terceiro mundo, sobretudo, entre os anos 60 e os anos 90 do século passado e que chegou a ser uma personalidade mítica", afirmou o chefe de Estado Português.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos