Ministros participam de força-tarefa contra Aedes aegypti em São Paulo

Fernanda Cruz - Repórter da Agência Brasil

Ministros e alunos na Escola Estadual Alcides da Costa Vidigal, em São Paulo Rovena Rosa/Agência Brasil

Os ministros Mendonça Filho, da Educação, Alexandre Moraes, da Justiça e Cidadania, Gilberto Kassab, da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e o governador Geraldo Alckmin participaram hoje (2) de força-tarefa para combater o mosquito Aedes aegypti na capital paulista.

Eles estiveram na Escola Estadual Alcides da Costa Vidigal, no Jardim Peri Peri, zona sul, onde assistiram à apresentação de alunos. Segundo o governador, a vacina tetravalente contra a dengue, elaborada pelo Instituto Butantã, está na última fase, a clínica. "Temos que vacinar 17 mil pessoas, já foram vacinadas 3,1 mil, chegamos a quase 20% da meta", disse.

As ações de prevenção da força-tarefa começam hoje em todo o Brasil, com atividades integradas e simultâneas, em articulação com prefeituras e governos estaduais. Militares das Forças Armadas, agentes de saúde e de defesa civil também estarão nas ruas para o enfrentamento à doença.

O mosquito Aedes aegypti é transmissor da dengue, zika e chikungunya. De acordo com o Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti deste ano, realizado pelo Ministério da Saúde, 28 cidades paulistas estão em alerta contra a dengue, chikungunya e zika e 344 estão em situação satisfatória. Em todo o país, 855 cidades estão em situação de risco.

O governador destacou que, enquanto a vacina não chega à população, o único caminho para evitar a doença é combater o mosquito. Com a mobilização, as sextas-feiras serão dedicadas em todo o país à procura por focos da dengue.

O secretário estadual de Saúde, David Ewerson Uip, informou que a dengue preocupa mais a cada ano, apesar do avanço. "Temos números que mostram que as medidas adotadas no ano anterior foram eficientes. Com essa diminuição de 80% do número de casos de mortos e de 76% do número de casos, são números muito altos", disse.

Mobilização nacional

A força-tarefa faz parte de mobilização promovida pelo governo federal para o combate ao mosquito, incluindo prédios públicos federais e empresas estatais em todo o país. O objetivo é eliminar possíveis focos do mosquito Aedes aegypti, que transmite os vírus da dengue, da chikungunya e da zika. Ações integradas e simultâneas, serão desenvolvidas em articulação com prefeituras, governos estaduais e população.

Órgãos da administração pública, unidades de saúde e estatais, também participam do movimento, marcando a intensificação das ações para impedir a reprodução do mosquito. A ideia é que todas as sextas-feiras sejam dedicadas à verificação de possíveis focos do mosquito. O governo espera, com isso, incentivar outras empresas, associações e a própria população para que cada um faça a sua parte.

Segundo o ministro da Saúde, Ricardo Barros, o objetivo é reforçar a atenção da sociedade para eliminar os criadouros do mosquito. "Toda a infraestrutura está pronta, mas depende de cada brasileiro fazer a sua parte. A diminuição dos mosquitos vai impactar diretamente na redução no número de pacientes com essas doenças, por isso a importância destas ações nas escolas, empresas, casas e complexos residenciais", disse.

Campanha

A nova campanha do Ministério da Saúde, de conscientização para o combate ao mosquito, chama a atenção para as consequências das doenças causadas pela chikungunya, zika e dengue, além da importância de eliminar os focos do Aedes. "Um simples mosquito pode marcar uma vida. Um simples gesto pode salvar", diz o texto veiculado em TV, rádio, internet, redes sociais e mobiliários urbano (ponto de ônibus, outdoor), até 23 de dezembro.

*Com informações da Redação/Agência Brasil

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos