Para celebrar Dia da Pessoa com Deficiência, SP tem edição da Virada Inclusiva

Elaine Patricia Cruz - Repórter da Agência Brasil

Desde ontem (2), diversas cidades do estado de São Paulo estão promovendo a Virada Inclusiva, com uma programação cultural, esportiva e de lazer - acessível e gratuita. O evento, que já está em sua sétima edição, é uma homenagem ao Dia Internacional da Pessoa com Deficiência e acontece em ruas, praças, parques, museus e teatros.

"A Virada surge para trazer para a sociedade a pessoa com deficiência, mas a partir de sua potencialidade. É uma forma de celebrar todas as conquistas que as pessoas com deficiência têm enfrentado e de dizer para a sociedade, de forma geral, que a questão da diversidade deve ser valorizada", disse Renato Ribeiro, assessor do Memorial da Inclusão.

Entre as atividades promovidas pelo evento estão oficinas, vivência no esporte com atletas paralímpicos e shows com artistas como Arnaldo Antunes, Edu Camargo e Tribo de Jah. Há também a exposição sensorial e interativa Grandes Nomes Grandes Feitos, no Conjunto Nacional, na Avenida Paulista. Entre os homenageados da exposição estão o cantor Stevie Wonder, o músico Ludwig van Beethoven e a artista Anita Malfatti. E, no domingo, a partir das 10h, acontece uma pedalada inclusiva na Praça do Ciclista, na Avenida Paulista.

Na tarde desta sexta-feira (2), o Teatro Sérgio Cardoso, no Bixiga, recebeu uma apresentação de street dance com o dançarino Thiago Rodrigues, 30 anos, portador de síndrome de Down. "A dança sempre refletiu um pouco da minha vida", contou ele à Agência Brasil. Thiago, que também trabalha como administrador e recepcionista em uma empresa, ensaiou a coreografia que foi apresentada por seis meses. "Essa Virada foi gostosa, em um dia agradável, em que todos puderam interagir. Pude mostrar um pouquinho da minha energia positiva", falou ele após sua apresentação.

Fabiane Ferri Ferretti, do projeto IDown, foi uma das organizadoras da apresentação que ocorreu no teatro. "A ideia da Virada Inclusiva é mostrar que estamos todos no mesmo ambiente e podemos conviver todos com a maior naturalidade e que não existem diferenças", disse ela. "Como cada um tem um potencial a ser explorado, geralmente as pessoas com síndrome de Down vão muito para as áreas de música e dança. Cada família tem que conseguir visualizar onde ela vai conseguir fazer com que o filho dela se desenvolva. O Thiago é apaixonado por música e dança", explicou ela.

O evento ocorre até domingo (4) e a programação está disponível no site da Virada Inclusiva.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos