Funcionários ganham adesão do público pela manutenção das bibliotecas parque

Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil

Os colaboradores da rede de Bibliotecas Parque do estado do Rio de Janeiro fizeram hoje (6) manifestação em frente à Biblioteca Parque Estadual, no centro da cidade, a favor da manutenção de quatro unidades (três na cidade do Rio e uma em Niterói). 

Está previsto o fechamento em 2017 das Bibliotecas Parque do centro da capital; da Rocinha, zona sul do Rio de Janeiro; em Manguinhos, zona norte; e em Niterói, região metropolitana.

A diretora da Biblioteca Parque Estadual, Adriana Karla Rodrigues, celebrou o movimento que, a seu ver, "foi maravilhoso". A manifestação começou pelos funcionários da rede e acabou envolvendo o público que frequenta o local, além de grupos que participam das atividades nas  unidades, entre os quais o Circo Voador, o Balé de Manguinhos, o grupo Macumba, citou a diretora.

A expectativa, acrescentou, é que a mobilização consiga sensibilizar o governo do estado do Rio ou a iniciativa privada, "para que possa ocorrer rapidamente o aporte (de recursos) para que o projeto possa continuar". Conversas nesse sentido estão em curso, mas não houve ainda nada de concreto. 

Segundo Henrique Oliveira, diretor do Instituto de Desenvolvimento e Gestão (IDG), responsável pela administração da rede de bibliotecas parque, é necessário um investimento anual de cerca de R$ 20 milhões para manter as quatro unidades funcionando.

Apoios

Para o professor Jitman Vibranovski, diretor de grupo de teatro de pessoas em situação de rua, a possibilidade de interrupção da rede de bibliotecas parque "seria uma catástrofe. Fechar qualquer biblioteca já é uma catástrofe. Fechar a biblioteca parque é um tsunami, porque quem conhece essa biblioteca sabe que ela não é feita só de livros, mas de gente". Vibranovski destacou que o público dessas unidades são pessoas simples que ali têm o direito de ler, a oportunidade de ter acesso a filmes, a aulas de música. "É um local propício para as pessoas pensarem, estudarem, discutirem, debaterem, que é tudo que a gente precisa".

A atriz Rita Elmor decidiu se juntar à mobilização dos funcionários porque considera que o espaço "é uma biblioteca viva. É uma biblioteca da inclusão. A gente não pode deixar isso [o fechamento] acontecer". Para garantir que o projeto prossiga no próximo ano, Rita sugeriu que "se deveria pegar as joias do casal Cabral [apreendidas na casa do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, durante a Operação Calicute da Polícia Federal], e transformar em dinheiro para a manutenção da biblioteca. ". 

Aviso prévio

Desde o último dia 1º, todos os 153 funcionários das bibliotecas parque estão trabalhando com aviso prévio. O horário de funcionamento das unidades também foi reduzido a partir do dia 2.

Os colaboradores protestam também nas redes sociais, usando a hashtag #FicaBibliotecaParque. 

Desde 2014, as Bibliotecas Parque já receberam mais de 1,8 milhão de visitantes - cerca de 1.500 por dia -, registraram 55 mil empréstimos de obras e contabilizaram mais de 18 mil cadastros. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos