Dom Paulo Evaristo Arns é um santo, diz secretária do cardeal

Fernanda Cruz - Repórter da Agência Brasil

O velório de dom Paulo Evaristo Arns que já dura quase 15 horas na Catedral Metropolitana de São Paulo, na Sé, região central da cidade, reúne amigos e admiradores. Entre eles, Maria Ângela Borsoi, secretária que trabalhou durante 40 anos e que o conhecia há 50 anos. "Para mim, Dom Paulo é um santo", disse.

Ela definiu o cardeal como despojado, disciplinado, brincalhão e jovial. "Apesar de todo o sofrimento da luta que ele travou, que é domínio público, nos anos de chumbo, a alma franciscana e a humanidade, dom Paulo Evaristo tinha esta jovialidade permanente, que ele fazia o milagre de fazer a gente não temer nada", explicou ela.

Dom Paulo morreu com 95 anos de idade, após permanecer internado na UTI do Hospital Santa Catarina com um quadro de broncopneumonia. Dom Evaristo Arns completou 71 de sacerdócio e 76 de vida franciscana. Ele era cardeal desde 1973 e foi arcebispo metropolitano de São Paulo entre 1970 e 1998. "Ele já sonhava a hora do encontro final com Deus por causa da fé na ressurreição, de forma que, para mim, ele finalmente chegou onde sonhava estar para sempre", disse Maria Ângela.

Maria Ângela comentou sobre os anos em que trabalhou com o cardeal. "Um aprendizado para mim, porque disciplinado como era. A disciplina dele com o tempo tirava o fôlego de quem estava com ele, na casa ou na curia. Eu e a três freiras começávamos a manhã em oração na capelinha. Nós e um motorista, que ficava junto, éramos uma pequena família do Dom Paulo", lembra a ela.

Funeral

O velório de dom Paulo Evaristo Arns segue desde as 20h de ontem (14). Durante toda a madrugada, o público rezou o terço e se despediu do cardeal emérito. Na manhã de hoje, os fiéis continuam lotando a catedral. A cada duas horas se inicia uma missa, totalizando 23 missas de corpo presente. As cerimônias seguirão de forma ininterrupta até as 15h de amanhã (16). Ao final, o corpo de Dom Paulo será sepultado na cripta da catedral.

Ontem, o governador Geraldo Alckimin esteve presente ao velório e lamentou a morte do cardeal. Em procissão solene, o corpo de Arns foi recebido sob aplausos na catedral, onde uma missa foi celebrada pelo arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos