PUBLICIDADE
Topo

Meirelles diz que juros do cartão de crédito começarão a cair no final março

Ivan Richard Esposito e Iolando Lourenço - Repórteres da Agência Brasil

22/12/2016 18h39

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse hoje (22) que a queda pela metade da taxa de juros do cartão de crédito deve começar a ocorrer a partir do final do primeiro trimestre do ano que vem. Após almoço com o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), Meirelles disse que esse prazo é suficiente para que os bancos e as operadoras de cartão se adaptem às medidas anunciadas hoje pelo governo. "O que prevemos é que serão cerca de 90 dias em que as medidas começarão a ser implementadas. E isso já estará em vigor a partir do final do primeiro trimestre. É um prazo viável, sim, na medida em que hoje as condições da economia brasileira já estão bastante diferentes e o ajuste fiscal já está em andamento", disse o ministro. Segundo Meirelles, a economia do país já dá os primeiros sinais de recuperação e que a partir do ano a melhora será ainda mais "visível". "A situação do Brasil já é e será outra ainda de forma mais visível a partir do final do primeiro trimestre. Isso, juntamente com algumas medidas regulatórias de cartão de crédito que tomaremos, como a unificação das máquinas nos pontos de venda, que já foi implementada, e uma série de outras, permite que os custos sejam menores". O ministro acrescentou ainda que houve uma conversa do Banco Central com os bancos no sentido de enfatizar a necessidade de "um esforço de todos" para que o Brasil possa voltar a crescer. Na manhã de hoje, em discurso de abertura durante café da manhã com jornalistas, o presidente Michel Temer anunciou que os juros do rotativo do cartão de crédito serão reduzidos pela metade; os trabalhadores poderão sacar todo o dinheiro que têm em contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e que o governo vai editar uma medida provisória para regularizar propriedades em área urbana. Mais tarde, foram anunciadas mudanças na área trabalhista.