STF nega habeas corpus ao ex-dirigente da Eletronuclear Luiz Messias

Aline Leal - Repórter da Agência Brasil

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou pedido de habeas corpus feito por Luiz Manuel Amaral Messias, ex-dirigente da empresa Eletrotronuclear, preso preventivamente desde julho de 2016 em operação ligada à Lava Jato.

A defesa de Messias pedia que a prisão preventiva fosse revogada ou convertida em domiciliar em razão de sua idade (70 anos) e de graves doenças de coração, diabetes e hipertensão, que demandariam tratamento intensivo e ininterrupto, além de alimentação adequada.

Messias foi preso em ação da Operação Pripyat, desdobramento da Lava Jato, que apura crimes de corrupção e lavagem de dinheiro na construção da Usina de Angra 3 pela Eletronuclear. As suspeitas são de fraudes em licitações, corrupção e lavagem de dinheiro em contratos entre a Eletronuclear as empreiteiras Andrade Gutierrez e Engevix. O ex-diretor está custodiado no Presídio Petrolino de Oliveira (Bangu 8).

Segundo o STF, a defesa deve aguardar decisão do Superior Tribunal de Justiça sobre o habeas corpus, antes de buscar a suprema corte.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos