Alckmin diz que reajuste nas passagens buscou equilíbrio entre empresa e usuário

Daniel Mello - Repórter da Agência Brasil

São Paulo - O governador de São Paulo,  Geraldo Alckmin, disse que o aumento de passagens  foi  um trabalho bastante criterioso para não onerar o usuário e preservar a saúde financeira das empresasRovena Rosa/Agência Brasil

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse hoje (3) que o reajuste nas passagens integradas do transporte público tentou manter o equilíbrio entre as necessidades das empresas e dos usuários. "Foi feito um trabalho bastante criterioso. De um lado procurando não onerar o usuário, de outro lado, a saúde financeira das empresas. Precisa expandir o metrô e os trens", explicou após participar da assinatura de um acordo que garantiu um aporte de R$ 97,2 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento para o Instituto Butantan.

As passagens unitárias dos ônibus, trens e metrôs da capital paulista não foram reajustadas. A manutenção do valor dos bilhetes era uma promessa de campanha do prefeito João Doria. O transporte sobre trilhos, no entanto, fica sob responsabilidade do governo estadual. Ao passar de um modal para outro, o usuário do Bilhete Único, cartão magnético recarregável, tem um desconto.

A passagem única está em R$ 3,80 na capital. Ao passar do ônibus para o metrô ou trem metropolitano, ou vice-versa, o usuário pagava um total de R$ 5,92. Com o aumento, quem precisar pegar dois tipos de condução passará a pagar um total de R$ 7,60.

Apesar do aumento, Alckmin disse que o sistema continua vantajoso. "O bilhete único integrado tem um grande desconto. Se você somar R$ 3,80 com mais R$ 3,80 dá R$ 7,60. O bilhete é R$ 6,80, você tem um grande estímulo ainda", destacou. O governador comparou os valores pagos pelo passageiro paulistano a outras cidades. "No Rio de Janeiro o bilhete é R$ 8. Se você pegar as cidades no entorno de São Paulo o mínimo é R$ 4", exemplificou.

O governador também disse que foram mantidas as gratuidades para os estudantes da educação básica, os universitários de baixa renda e os idosos.

Guarulhos

Em Guarulhos, na Grande São Paulo, o novo prefeito Gustavo Henric Costa decidiu cancelar o aumento de 18,42% nas passagens de ônibus no município. A decisão da gestão anterior previa aumento de R$ 3,80 para R$ 4,50.

Como o reajuste pegou a população de surpresa no dia 29 de dezembro, a Justiça havia determinado a suspensão temporária do aumento. A decisão foi tomada a partir de uma ação popular que foi aceita pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, na Comarca de Guarulhos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos