Maia diz que mudança de comando na Câmara não vai atrasar Reforma da Previdência

Débora Brito - Repórter da Agência Brasil

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, empossa dois suplentes que ocuparão vagas de titulares que se licenciaram José Cruz/Agência Brasil

O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), reafirmou hoje (5) que as Reformas da Previdência e Trabalhista devem ser votadas ainda no primeiro semestre deste ano. O deputado está confiante que os projetos enviados pelo poder Executivo serão aprovados mesmo se ele não for o candidato escolhido na eleição da presidência da Câmara, marcada para 2 de fevereiro. Maia ainda não é candidato oficial ao cargo e diz que ainda estuda a possibilidade.

"Estou confiante que, em qualquer posição que eu esteja a partir do dia 3 de fevereiro, estarei pronto para ajudar o Brasil, aprovar essas reformas que, do meu ponto de vista, fortalecem o direito dos trabalhadores, fortalecem o direito das famílias no longo prazo e no curto prazo vão dar um alívio enorme", declarou.

Sobre a eleição da Câmara, Maia voltou a afirmar que sua candidatura está "amadurecendo" e que, caso reeleito, não vai retaliar a oposição. "A montagem da mesa diretora não depende da minha candidatura, é claro que no dia seguinte não haverá retaliação com ninguém", disse.

Maia deu a declaração logo após empossar como deputados os suplentes Izaque Silva (PSDB-SP) e Yeda Crusius (PSDB-RS), ex governadora do Rio Grande do Sul. Silva assumiu no lugar de Bruno Covas, novo vice-prefeito de São Paulo. Yeda substituirá Nelson Marchesan Júnior, que assumiu a prefeitura de Porto Alegre (RS).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos