Davos: Goldfajn diz que política monetária ajuda economia, mas não é suficiente

Mariana Branco - Repórter da Agência Brasil

Para Goldfajn, o crescimento do PIB depende de investimentos e níveis crescentes de produtividadeJosé Cruz/Arquivo/Agência Brasil

O presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, disse hoje (17) em reunião do Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, que a política monetária ajudará na recuperação econômica do Brasil, mas que são necessárias ações complementares para combater a crise. O BC divulgou trechos da participação do presidente no fórum, que vai até quinta-feira (19).

Ilan Goldfajn afirmou que a política monetária - que inclui a definição da Selic, taxa básica de juros da economia - não é "o único jogo na cidade". "Ela complementa outras políticas do governo e reformas estruturais atualmente sendo implementadas", destaca a apresentação.

Segundo o presidente do BC, o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e riquezas produzidos em um país) depende de investimentos e de níveis crescentes de produtividade.

Ilan Goldfajn também coloca como importante a redução das incertezas, particularmente as relacionadas a eventos políticos e não econômicos. O presidente afirma ainda que é necessário aprovar reformas fiscais, especialmente a da Previdência.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos