Reino Unido deixará mercado único da UE e vai controlar entrada de imigrantes

Marieta Cazarré - Repórter da Agência Brasil

A primeira-ministra britânica Theresa May fez um discurso na manhã de hoje (17), em Londres, para anunciar como deverá ser a saída do Reino Unido da União Europeia. No discurso, May confirmou que o Reino Unido deixará o mercado único, mas afirmou que está confiante em um possível acordo de comércio com a Europa.

Imigrantes

Em relação ao livre trânsito de pessoas dentro do bloco, May foi clara ao dizer que o Reino Unido passará a controlar o número de migrantes provenientes da União Europeia, mas afirmou que reconhece a importância dos imigrantes e que "os melhores [serão bem-vindos] para estudar e trabalhar no Reino Unido". Ela afirmou ainda que a imigração terá de servir aos interesses britânicos.

O discurso de May, bastante otimista, foi intitulado A Global Britain (Uma Grã-Bretanha Global, em tradução livre), e transmitiu a ideia de que a saída da UE é uma oportunidade para o Reino Unido se tornar ainda mais internacional. "Deixaremos a União Europeia mas não abandonaremos a Europa", afirmou, dizendo que o Reino Unido estará aberto ao mercado global.

Muito criticada nos últimos meses por não ser clara nas propostas para a transição do Reino Unido, Theresa May adotou um tom conciliador no discurso, afirmando que o país quer negociar livremente com outras nações da União Europeia e que acredita que um acordo pode ser positivo para os dois lados.

May disse que o Reino Unido será "o melhor amigo e vizinho dos nossos parceiros europeus, mas também um país que ultrapassa as fronteiras da Europa".

Ela ressaltou que, após o referendo que definiu pela saída do Reino Unido da UE, o país precisa se unir para construir uma Grã-Bretanha mais forte, justa e verdadeiramente global. Disse ainda que a decisão popular pela saída não significa que os britânicos não reconheçam as virtudes da UE, mas que optaram por um caminho diferente.

Theresa May anuncia como será saída do Reino Unido da União EuropeiaHayoung Jeon/EPA/Agência Lusa/Direitos Reservados

Após o discurso, que acabou às 12h31 (horário local), a primeira-ministra respondeu brevemente algumas perguntas de jornalistas. Questionada sobre sua mudança de discurso, uma vez que fez campanha para que o Reino Unido permanecesse na UE, May respondeu que o país deve se unir em torno da decisão da maioria e que os indicadores atuais mostram um panorama mais otimista do que o que foi defendido à época do referendo.

Quanto às novas regras para a imigração, May não respondeu objetivamente, apenas afirmou que serão definidas em um futuro próximo e que os direitos dos cidadãos da UE serão respeitados.

May foi questionada ainda sobre a possibilidade de o Parlamento Britânico, que dará a palavra final sobre o processo de saída da UE, não votar favoravelmente. Em resposta, May afirmou estar confiante de que o Parlamento irá respeitar a vontade do povo britânico.

O termo Brexit é a união das palavras Britain (Grã-Bretanha) e Exit (saída, em inglês) e é usado para denominar o processo de saída do Reino Unido da União Europeia após um referendo feito em junho de 2016, quando 52% dos britânicos votaram a favor dasaída. A participação no referendo foi de 71,8%, com mais de 30 milhões de votantes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos