Com segurança reforçada, ônibus voltam a circular em Natal

Sumaia Villela - Enviada especial a Natal

Militares garantem a circulação de ônibus em NatalSumaia Villela Agência Brasil/EBC

A circulação de ônibus em Natal foi parcialmente normalizada hoje. De acordo com o governo estadual, as empresas de ônibus concordaram em recolocar nas ruas 30% da frota diante da garantia de policiamento reforçado, além da presença das Forças Armadas na região metropolitana de Natal.

Segundo o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano do Rio Grande do Norte (Seturn), os 30% estão em processo de regularização, pois os rodoviários ainda se mostram amedrontados. Algumas companhias conseguiram liberar suas linhas mais cedo que outras. Nas ruas já se viam veículos circulando e as pessoas voltaram a usar os pontos de ônibus.

Passageiros relataram que a quantidade de ônibus era irregular. Hoje, pela manhã, Thalyta Rayanny Ferreira, 23 anos, estava há duas horas no ponto da Avenida Bernardo Vieira, bairro de Rua Nova, depois de um plantão de 12 horas como recepcionista. A ida ao trabalho, no dia anterior, tinha sido mediante carona.

Já a volta estava incerta. "Vi ônibus para São Gonçalo, Macaíba, Parnamirim e alternativos. Mas eles não entram nos bairros. Eu moro no Vale Dourado e minha mãe reside na Nova Natal e estou tentando ir para um dos dois cantos e nada", reclamou.

 

Em Natal, 30% da frota de ônibus estão circulandoSumaia Villela Agência Brasil/EBC

Transporte clandestino ganha dinheiro

Enquanto o serviço não volta ao normal, os transportes complementares e os clandestinos aproveitam para ganhar dinheiro. Microonibus de outras cidades e táxis fazem as paradas no ponto e anunciam seus destinos. E saem cheios. Até um veículo de outra cidade foi flagrado pegando passageiros.

E eles, os clandestinos, não cobram barato, segundo a dona de casa Maria das Graças, 43 anos, que ficou impressionada com a inflação da passagem informal. "Infelizmente, tem muito oportunismo. Um rapaz passou cobrando R$ 10. Depois outro queria R$ 5, R$ 3. Mas nenhum para onde eu vou", disse, ao lado das duas filhas, e desde às 6h na rua tentando chegar na casa da irmã.

Ela foi entrevistada pela Agência Brasil às 9h. "E com criança, quando começa a dar sede e fome, aí é complicado, mas fazer o quê? Tem que esperar".

Os clandestinos também não servem para trabalhadores que recebem auxílio-transporte. Eles usam um cartão com os créditos, que não são aceitos pelos clandestinos.

Forças Armadas nas ruas

O policiamento da região metropolitana de Natal foi reforçado desde ontem (20) por militares das Forças Armadas. Ontem, 650 dos cerca de 1800 integrantes destacados para a missão já foram para as ruas.

Hoje de manhã era possível encontrar, com alguma dificuldade, viaturas circulando por Natal. No caminho para o presídio de Alcaçuz, que fica no município Nísia Floresta, a reportagem também passou por ônibus e caminhões, que iam para Natal - possivelmente levando militares que seriam integrados neste sábado ao policiamento, reforçado para evitar que ônibus voltem a ser queimados na capital do Rio Grande do Norte. Os ataques aos ônibus coincidiram com a crise nos presídios onde houve motins nos últimos dias.

A previsão é que até domingo todos estejam na ativa. As Forças Armadas também assumem a coordenação das atividades policiais em integração com as corporações estaduais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos