SP: Associação vai recorrer de decisão sobre aumento de velocidade em marginais

Camila Boehm - Repórter da Agência Brasil

A Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo - Ciclocidade vai recorrer ainda nesta semana da decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) que derrubou a liminar obtida pela entidade na última sexta-feira (20) e autorizou o aumento dos limites de velocidade nas marginais Pinheiros e Tietê. A decisão foi da desembargadora Flora Maria Nesi Tossi Silva.

"Nenhum estudo técnico assinado por engenheiros e garantindo a preservação de vidas foi apresentado pela Companhia de Engenharia de Tráfego - CET", disse, em nota, a Ciclocidade. A entidade afirmou ainda que a prefeitura não respondeu à Justiça sobre uma questão importante: se o aumento de velocidades promovido como parte do programa Marginal Segura não acarretará em mais mortes ou em mais incidentes de trânsito com lesões graves.

"O princípio básico da engenharia de mobilidade é preservar a vida e a saúde das pessoas - não apenas fazer com que cheguem mais rápido aos lugares, ou sejam socorridas mais rápido após acidentes evitáveis. Na decisão, a desembargadora considera que 'nada impede que se opere a reana lise da efica cia ou na o das medidas trazidas pelo programa Marginal Segura apo s sua implantac a o e aferiça o de dados'. O risco é que tal reanálise ocorra apenas após consequências graves para a sociedade", finalizou a associação.

O prefeito João Doria afirmou, em coletiva de imprensa ao lado do secretário municipal de Mobilidade e Transportes, Sérgio Avelleda, que o aumento da velocidade nas marginais será feito de forma responsável e segura. "Além de uma ampla campanha de educação no trânsito e orientação à população, o secretário ressaltou que as marginais foram projetadas para serem vias rápidas. A estimativa é que o motorista ganhe, fora do horário de pico, cerca de 15 minutos ao percorrer as marginais de uma ponta a outra pela pista expressa", diz nota divulgada posteriormente pela prefeitura.

Sobre o programa Marginal Segura, a Ciclocidade defendeu que a prevenção, em qualquer campo, é cumulativa e sempre se pode garantir mais segurança e reduzir riscos com ações adicionais. "Medidas corretas de aumento da prevenção - como melhoria na sinalização, aumento de fiscalização, melhoria nas travessias de pedestres e mesmo ambulâncias - não requerem aumento de velocidade". A entidade afirma que não questiona tais medidas e que "iniciativas complementares à redução de velocidades são bem-vindas".

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos