Servidores fazem vigília em frente à Alerj contra privatização da Cedae

Da Agência Brasil

Funcionários da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae) e servidores de outras áreas do estado estão concentrados desde o início da manhã em frente à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), para acompanhar as votações do Projeto de Lei 2.345/17, que autoriza a venda da empresa para a iniciativa privada, e do empréstimo emergencial para o Executivo pagar os salários do funcionalismo público. As votações estão previstas para a tarde de hoje (9).

Um dos participantes da vigília, o diretor do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Saneamento Básico e Meio Ambiente do Rio de Janeiro, Roberto Rodrigues, os funcionários da empresa estão em greve há três dias, em protesto contra a proposta de privatização da companhia. Para Rodrigues, a privatização da Cedae pode prejudicar a população, e não somente os funcionários da Cedae.

Ele disse que a Cedae gera muitos lucros para o Rio de Janeiro - somente em 2016, o estado obteve R$ 78 milhões com a companhia. "Então, qual o motivo desse desejo de privatizar? Acompanharemos a votação de logo mais e, dependendo, encerraremos ou manteremos o movimento grevista."

Ontem (8), o governador Luiz Fernando Pezão anunciou que os salários da área de segurança serão reajustados com base em projeto aprovado em 2014 pela Alerj. A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros terão reajuste de 7,65%; servidores da Polícia Civil, de 10,22%; delegados da Polícia Civil, de 3,3%; e inspetores de segurança e Administração Penitenciária, de 3,24%.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos