Jungmann diz que Forças Armadas devem permanecer mais tempo no Espírito Santo

Vinicius Lisboa - Repórter da Agência Brasil

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse hoje (14) que a permanência das Forças Armadas no Espírito Santo vai ser prorrogada para além dos dez dias iniciais determinados no decreto assinado pelo presidente Michel Temer em 8 de fevereiro.

Inicialmente, o decreto previa a atuação entre os dias 6 e 16 de fevereiro, mas o ministro disse que a situação "requer, sem sombra de dúvida, a prorrogação".

"Vamos permanecer o tempo que for necessário, até que a normalidade se reinstaure", disse o ministro, que informou que há cerca de 3,1 mil militares patrulhando o estado.

Jungmann defendeu que a atuação das Forças Armadas se dá em obediência à Constituição e disse que a presença dos militares garantiu a vida da população no estado.

"Se elas não tivessem entrado em operação já na segunda-feira e, com isso, derrubado os arrastões, incêndios e saques, a população de lá estaria à mercê de vândalos e teria sua vida em risco."

O ministro comparou as manifestações de parentes de PMs no Espírito Santo e no Rio de Janeiro e disse que a área de inteligência do ministério não tem a expectativa de que o movimento fluminense tenha as mesmas proporções que o capixaba.

"[No Rio] é muito diferente da situação no Espirito Santo, onde tivemos um motim com tropas armadas e aquarteladas", disse. "Não temos um problema em termos hierárquicos e não temos um problema em termos da regularidade do policiamento. São coisas distintas e não existe, para nós, a expectativa desse contágio."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos