Parlamento europeu aprova acordo de livre comércio com o Canadá

Da Radio France Internationale

Eurodeputados contrários ao Ceta se manifestaram durante a votação do acordo no Parlamento Europeu. O acordo foi aprovado por 408 votos a favor, 254 contra e 33 abstençõesPatrick Seeger/EPA/Agência Lusa/direitos reservados

O Parlamento europeu aprovou nesta quarta-feira (15), em Estrasburgo, o tratado de livre comércio entre União Europeia e Canadá (Ceta), abrindo caminho a uma implementação provisória deste espaço de livre negociação, que envolve um mercado de 550 milhões de pessoas.

Após um debate de três horas marcado por uma série de críticas entre partidários e opositores, os eurodeputados aprovaram, por 408 votos a favor, 254 contra e 33 abstenções, o acordo conhecido como Ceta (acrônimo, em inglês, de Comprehensive Economic and Trade Agreement).

A União Europeia espera que este tratado comercial, negociado durante sete anos, se converta em um modelo de futuros acordos, como o negociado com o Mercosul, em um contexto de incerteza no comércio internacional, depois da chegada de Donald Trump à Casa Branca.

Trump anunciou, em janeiro, a saída dos Estados Unidos do Tratado Transpacífico de Cooperação Econômica e a intenção de renegociar o Tratado de Livre Comércio para América do Norte, por considerá-lo especialmente generoso com o México.

Críticas e protestos

A votação desta quarta-feira no Parlamento europeu foi marcada por protestos. Cerca de 700 opositores se manifestaram em Estrasburgo, segundo a polícia local, e dezenas de pessoas bloquearam a entrada principal ao Parlamento. Os adversários do Ceta consideram o acordo antidemocrático, excessivamente favorável às multinacionais e em nada preocupado com a ecologia e o meio ambiente, além de perigoso para a agricultura europeia.

"Nestes tempos de incerteza, com o crescente protecionismo mundial, o Ceta sublinha o nosso forte compromisso com o comércio sustentável", respondeu a comissária de Comércio da União Europeia, Cecilia Malmström, após a votação. "Nada neste acordo afetará a segurança dos alimentos que comemos e os produtos que compramos ou resultará na privatização dos serviços públicos", ela assegurou aos eurodeputados durante o debate sobre o tratado.

O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, deverá falar no Parlamento europeu nesta quinta-feira (16) evocando o "caráter especialmente progressista do acordo de livre comércio", segundo seu gabinete. "Os intensos debates sobre o Ceta refletem o caráter democrático das tomadas de decisões na Europa", disse o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos