Justiça determina bloqueio de bens do prefeito de Osasco

Fernanda Cruz - Repórter da Agência Brasil

A Justiça de São Paulo determinou o bloqueio dos bens do prefeito de Osasco, Rogério Lins. Ele é acusado de participar de esquema criminoso de funcionários fantasmas e de captação de parte do salário de assessores na época em que era vereador e presidente da Câmara Municipal de Osasco.

Também foi determinado o bloqueio de bens de 13 vereadores suspeitos de participação no crime. A ação civil pública promovida pelo Ministério Público estima que R$ 21 milhões foram desviados com as fraudes. No total, foram denunciadas 217 pessoas, entre vereadores, assessores e funcionários fantasmas.

Os acusados chegaram a ser presos pela Operação Caça-Fantasmas, deflagrada em agosto de 2015. Lins foi preso no ano passado, no domingo de Natal, após retornar de uma viagem a Miami, nos Estados Unidos. Ele foi levado à Penitenciária de Tremembé, no interior paulista, onde permaneceu até 30 de dezembro. No dia 1ºde janeiro,  tomou posse em solenidade na Câmara dos Vereadores.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos