Chuva intensa deixa ruas alagadas em Salvador

Sayonara Moreno - Correspondente da Agência Brasil

A intensa chuva que caiu na madrugada e manhã de hoje (17), em Salvador, gerou índices pluviométricos consideráveis pela Defesa Civil Municipal (Codesal). O bairro da Federação ficou com o maior índice (63,1 milímetros), em apenas uma hora de precipitação. O período foi responsável por alagamentos nas principais vias da capital baiana. 

Segundo a Codesal, os bairros de Ondina e Caminho das Árvores tiveram pontos de alagamentos com maior intensidade, além de vias da cidade. No entanto, desde o dia 1º de maio, o local com maior ocorrência de chuvas foi o centro da cidade, que acumulou índice de 280,3 mm no período. Para o mês a média do índice pluviométrico para toda a cidade é 359,9mm. 

A Codesal mantém a Operação Chuva desde o dia 1º de abril, quando se inicia o período chuvoso em Salvador. O boletim emitido pela defesa civil no fim da manhã de hoje, registrou 51 solicitações de moradores, pelo Disque 199. Do total, foram registrados 15 alagamentos, 13 ameaças de desabamentos de imóveis, três ameaças de desabamentos de muros, oito de deslizamentos de terra, uma ameaça de queda de árvore, uma árvore caída e quatro infiltrações. Mesmo com alto número de ocorrências ninguém ficou ferido.

Nas redes sociais, vídeos e fotos de pontos alagados nas ruas e dentro de imóveis foram compartilhados pela manhã e no início da tarde de hoje. A aluna de produção cultural da Universidade Federal da Bahia Vanessa Avelar estuda no campus em Ondina, um dos bairros com maior ocorrência de alagamentos da cidade. Ela conta que o desnível em um dos edifícios do campus intensificou o acúmulo de água da forte chuva. Com isso, formou-se "uma cachoeira e um rio de lama" que entrou pela portaria e chegou ao elevador deixando alunos ilhados na escadaria e no primeiro andar do edifício. 

"Aqui, quando chove com intensidade, muitos pontos de alagamento são formados impedindo alunos e professores de chegar para as aulas. Às vezes nem é possível abrir a porta do carro. Fiz um vídeo mostrando a situação e alertando para a necessidade de proteger os corredores entre os edifícos para evitar que alunos, professores e funcionários fiquem molhados. Levei uma hora esperando o nível de água baixar para conseguir chegar na sala de aula,"  disse a estudante.

Previsão de mais chuva

Os altos índices de chuva registrados estavam previstos pelo órgão e pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). De acordo com a meteorologista do Inmet, na Bahia, Cláudia Valéria, a chuva de hoje teve a maior intensidade do mês. 

"Esta previsão se mantém até amanhã, pelo menos. Por isso mantemos o alerta de temporal e fortes chuvas que podem ser mais intensas e significativas que hoje", disse Valéria, que define a ocorrência comum para esta época do ano.

"No momento, temos a passagem de uma frente fria pelo litoral com alta pressão e convergência de umidade. As nuvens foram muito pesadas e provocaram uma quantidade significativa de chuva," finaliza.

Apesar de pouco sol na manhã de hoje, a temperatura mínima registrada foi 24º (Celsius) C. A máxima, pode chegar a 30ºC. Para amanhã (18), os termômetros podem registrar menores temperaturas: a mínima prevista deve ser de 21ºC e a máxima, 26ºC. No início da tarde de hoje, o sol apareceu entre nuvens, mantendo o tradicional calor da capital baiana.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos