Prefeitura do Rio prorroga operação de reordenamento urbano na Central do Brasil

Ana Luiza Vasconcelos*

A prefeitura do Rio decidiu prorrogar a operação de reordenamento urbano na Central do Brasil, no centro do Rio de Janeiro, por tempo indeterminado. A ação teve início na sexta-feira passada (26) e é realizada em parceria com vários órgãos do governo estadual, como a Polícia Militar e a Polícia Civil. O objetivo inicial da operação foi reagir à ação criminosa ocorrida na segunda-feira anterior, quando criminosos armados saquearam 14 lojas da região.

A decisão de continuar a operação com diminuição do efetivo foi anunciada após uma reunião entre os órgãos envolvidos, ocorrida na noite desta segunda (29) no Centro de Operações Rio. A prefeitura atua na operação por meio da Guarda Municipal.
 
O subdiretor de Operações da Guarda Municipal, Carlos Cristo, disse que a continuidade da operação tem o objetivo de manter a ordem após a ação de grande porte da semana passada. Sobre a permanência da população em situação de rua na região da Central da Brasil, o subdiretor informou que a Guarda Municipal não atua diretamente sobre esse grupo.
 
"Eu não posso chegar lá com uma guarnição nossa e, simplesmente, colocar a pessoa em uma viatura e levá-la para o abrigo, ela precisa optar por isso. E, ainda assim, ela tem que ser acompanhada por um serviço social e pelo educador, que é da assistência social da prefeitura. A guarda em si não tem como atuar diretamente nesse foco", disse.
 
De acordo com Carlos Cristo, a diferença entre a operação da semana passada e a desta semana é que não haverá mais uma ação tão intensa, com mandados de prisão e incursões no Morro da Providência, mas, sim, uma operação rotineira de ordenamento urbano.
 
Além disso, a operação também realizará ações de aproximação com a comunidade, como a apresentação de cães adestrados para recreação e da Banda de Música da Guarda Municipal, além da distribuição da vacina antirrábica. Cristo disse ainda que a finalidade desta aproximação é mostrar que não existe conflito entre a comunidade e o Poder Público, e que a presença da guarda é apenas para manter a ordem do local.
 
 A Secretaria de Ordem Pública informou que já foram recolhidas quase 4 mil mercadorias de ambulantes ilegais, 27 toneladas de lixo, além de 57 veículos multados e outros 33 removidos. Houve também a recuperação de dois carros furtados abandonados na área da Central do Brasil e a realização de 57 abordagens a pessoas em situação de rua, com 25 acolhimentos. 
 
*Estagiária sob a supervisão de Davi Oliveira

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos