Temer recebe Pezão e Dornelles nesta quinta-feira para discutir violência no Rio

Marcelo Brandão - Repórter da Agência Brasil

O presidente Michel Temer receberá o governador licenciado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, e o governador em exercício, Francisco Dornelles, amanhã (20), para tratar da segurança pública no estado. Também participarão do encontro os ministros da Defesa, Raul Jungmann; do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sérgio Etchegoyen; e da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que tem base eleitoral no Rio, também estará presente. A reunião será no Palácio do Planalto, às 11h.

A agenda presidencial já previa uma reunião sobre a política nacional de segurança, mas durante jantar na casa do presidente da Câmara, ocorrido ontem (18), o deputado conversou com Temer sobre os problemas de segurança no Rio de Janeiro e os representantes do estado foram incluídos na agenda. Dessa forma, a reunião vai tratar de segurança de uma maneira geral, mas discutirá também o crescimento da violência no Rio.

A violência e a criminalidade no estado têm alarmado as autoridades e a população. O governador interino Francisco Dornelles e o prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, fizeram ontem um apelo conjunto por apoio federal. Eles se reuniram no Palácio Guanabara, sede do governo estadual, e firmaram compromisso de se unirem para enfrentar a crise na segurança pública.

O aumento da criminalidade no Rio avançou também para o roubo de cargas, fazendo com que as empresas de transporte de carga ameaçassem hoje paralisar o serviço de entregas no estado, tendo como consequência o desabastecimento no comércio, se os roubos a caminhão não forem contidos.

O prefeito considera que o Rio é, atualmente, o epicentro da violência no Brasil e disse que já foi prometido, pelo governo federal, medidas para combater a violência no estado. "O estado e a capital estão juntos, pedindo e fazendo um apelo veemente para que, aquilo que nos foi prometido, seja cumprido", disse Crivella, lembrando a necessidade de mais reforços da Polícia Rodoviária Federal, das Forças Armadas e da Polícia Federal.

ATé o momento, governo federal enviou 620 homens da Força Nacional de Segurança e mais 380 policiais rodoviários federais ao estado, com a missão principal de combater o roubo de cargas e a entrada de armas e munições pelas rodovias. Só este ano, morreram 89 policiais militares, de folga ou de serviço, em ações de criminosos, no estado do Rio.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos