EUA começam a retirar movéis de casa diplomática em Moscou

Leandra Felipe - Correspondente da Agência Brasil

Os  Estados Unidos começam hoje (1º) a retirada de móveis e equipamentos de um prédio diplomático da capital russa, Moscou.  A ação é a primeira que o país cumpre de acordo com a determinação do Kremlin de que Washington deve reduzir de 1.200 para 755 o seu corpo diplomático no país.  A ordem foi dada pelo presidente da Rússsia,  Vladmir Putin, como uma reação às sações aprovadas contra a Rússia pelo Congresso norte-americano. 

A Casa Branca por sua vez, confirmou que o presidente Donald Trump vai assinar o projeto de lei com as sanções aprovadas pelo Congresso em reação à suposta interferência da Rússia na eleição presidencial no ano passado e para punir Moscou pela anexação da Crimeia (antes território ucraniano) em 2014.

As sanções aprovadas atingem indústrias russas e podem prejudicar a economia do país.

A retirada de móveis começou em um depósito que era usado como armazém e em uma casa no Sul de Moscou, conhecida como "Dacha" Casa de Campo, lugar que era usado nos finais de semana pelos funcionários americanos para realizar festas.

O governo russo havia dado um prazo para entrega da casa de campo. O ordem foi dada pelo vice-ministro das relações Exteriores da Rússia, Sergei Ryabkov, que deu até o meio-dia de hoje para a entrega do depósito e da Dacha.

A redução de funcionários diplomáticos imposta por Putin abrange 60% dos funcionários das embaixadas e consulados americanos na Russia. O Kremlin disse que os cortes serão feitos à critério de Washington.

Analistas veêm a medida de Putin como um recado para os Estados Unidos, em uma manobra para demostrar força aos seus eleitores.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos