PUBLICIDADE
Topo

TV analógica tem desligamento previsto para 27 de setembro na Grande Salvador

Sayonara Moreno - Correspondente da Agência Brasil

30/08/2017 15h15

Meta é ter 93% das residências com sinal digital até o dia do desligamento analógicoArquivo/Valter Campanato/ABr A partir do dia 27 de setembro, a TV analógica será desligada em Salvador e mais 19 cidades da Região Metropolitana. No entanto, a data somente será cumprida se o índice de famílias com a tecnologia digitar alcançar 93%. Atualmente, 86% das residências da Grande Salvador já têm o sinal, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). "O ideal é que seja 100%, mas ao menos 93% dos domicílios têm de estar aptos para receber o sinal digital. É uma determinação ministerial e foi elaborado um cronograma que deve ser cumprido de acordo com o cumprimento das metas. As emissoras se prepararam e investiram para essa transição. Alguns luares no país nem têm o sinal digital no ar, tudo é a partir de um cronograma", explicou o presidente da Anatel, Juarez Quadros, em entrevista coletiva na manhã de hoje (30) em Salvador. Para que os aparelhos de TV continuem funcionando e veiculando as programações, será necessária a aquisição de um conversor digital, que deve ser ligado à TV e uma antena. Como forma de facilitar o acesso, a Anatel realiza distribuição de kits, de forma gratuita, às famílias que possuem cadastro em algum programa social do governo federal, incluindo as beneficiárias do Bolsa Família e do Minha Casa Minha Vida. O processo de transição do sinal analógico para o digital tem o apoio da instituição não-governamental Seja Digital, sem fins lucrativos, criada para prestar apoio e esclarecimentos à população durante a mudança.O presidente da entidade, Antônio Martelleto, explica que na capital baiana e região metropolitana, a distribuição gratuita dos kits de conversores já alcançou 80% entre as famílias que têm direito aos equipamentos gratuitos. "Por aqui a situação está boa, mais de 400 mil famílias se digitalizaram nas útlimas semanas, o que é muito significativo. Estamos chegando aos 20% finais que faltam para os próximos 28 dias antes do desligamento analogico. Nosso trabalho intenso é no sentido de alcançar essas pessoas", avaliou Martelleto. O presidente da Seja Digital ressaltou, ainda, a importância de as famílias ligarem os equipamentos que já captam o sinal digital, para que as pesquisas de levantamento de domicílios consigam alcançar o índice necessário de 93%, para o desligamento na data prevista. Além de Salvador, outras cidades próximas também terão o desligamento no dia 27 de setembro. São elas: Aratuípe, Cairu, Camaçari, Candeias, Dias D'Ávila, Itaparica, Jaguaripe, Lauro de Freitas, Madre de Deus, Maragogipe, Nazaré, Salinas da Margarida, Santo Amaro, São Francisco do Conde, São Sebastião do Passé, Saubara, Simões Filho, Terra Nova e Vera Cruz. Nas cidades citadas, estima-se 1,45 milhão de domicílios baianos. Na mesma data, a capital cearense, Fortaleza, e sua Região Metropolitana também terão o sinal analógico desligado. Até novembro de 2018, os sinais analógicos serão desligados principalmente nas capitais do país e regiões metropolitanas. Na Bahia, as cidades de Vitória da Conquista, Juazeiro e Feira de Santana passam a ter sinal exclusivamente digital em novembro de 2018. O restante dos municípios menores e mais afastados das capitais só terão o sinal analógico desligado em 2023. Qualidade de transmissão O presidente da Anatel conta que o sinal digital garante melhor qualidade de imagem e som às famílias que já passam a utilizar a tecnologia, de "fácil instalação". "Quem ainda utiliza o sinal analógico - que apresenta uma letra A no canto inferior da tela [da TV ligada] - sentirá uma grande diferença ao passar para o sinal digital: há melhor qualidade da imagem, do som, com lazer e entretenimento melhores, o jogo de futebol e a novela, por exemplo", disse. As famílias que fazem parte do Cadastro Único do governo federal têm direito a receber o equipamento gratuitamente, em qualquer posto de distribuição. Para isso, é recomendado que agendem o recebimento e tirem as dúvidas pelo telefone 147 ou acessem o site do Seja Digital. O presidente da entidade explicou que, no ato do recebimento, o cidadão recebe instruções para que a instalação seja feita pela própria família, mas em caso de dificuldade, um técnico pode ser acionado. Martelleto conta que, apesar do índice de distribuição de 80% entre as famílias que têm direito ao kit, a Seja Digital também faz o acompanhamento dos aparelhos à venda no comércio. Segundo ele, o varejo é constantemente monitorado, com análises sobre a procura pelos conversores, o preço e a situação dos estoques. O levantamento da Seja Digital aponta que os equipamentos de conversão do sinal custam, em média, entre R$ 90 e R$ 160, a depender da fabricante. As antenas podem ser internas ou externas e o preço varia entre R$ 30 e R$ 40. As residências que utilizam televisão com antenas parabólicas ou TV a cabo não sentirão nenhuma alteração e não será preciso fazer a adaptação com conversor. Além disso, a Anatel explicou que todos os aparelhos de TV fabricados a partir de 2010 têm o conversor digital embutido, o que dispensa a necessidade de aquisição do equipamento. Com o desligamento do sinal analógico, as emissoras deixam de utilizar a faixa de transmissão de 700 Mhz, que será automaticamente destinada ao uso de empresas de telefonia. A partir disso, a qualidade da internet de quarta geração (4G) passa a ser melhor e mais rápida, sobretudo na transmissão de dados de internet móvel.