Operação prende 58 envolvidos com tráfico de drogas no sul fluminense

Akemi Nitahara - Repórter da Agência Brasil

A Operação Coroados II, deflagrada hoje (14) pela Polícia Militar (PM) em conjunto com o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), cumpriu 58 de 64 mandados de prisão, além de 44 de busca e apreensão.

O objetivo da investigação era combater o tráfico de drogas no sul fluminense, com foco na cidade de Valença. As buscas ocorreram também na cidade de Barra do Piraí e nas comunidades de Acari, Muquiço, Dendê e no Complexo da Maré, favelas que, de acordo com as investigações, abasteciam o tráfico do sul do estado.

O coordenador de Inteligência da PM, coronel Antônio Goulart, explica que havia 65 mandados de prisão, porém dois eram contra a mesma pessoa. Do total de mandados expedidos, 31 eram contra pessoas que já estavam presas, mas continuavam comandando o tráfico de dentro do complexo penitenciário.

"Alguns deles já eram alvos da Operação Coroados I e continuaram, mesmo após a prisão, monitorando e controlando o tráfico de drogas do interior dos presídios. Outros 33 alvos estavam soltos, são pessoas que fazem parte da mesma quadrilha e, após a prisão dos primeiros elementos, continuaram a gerenciar e a praticar crimes visando o lucro dessa quadrilha lá no sul fluminense. A principal liderança solta que a gente tinha hoje era justamente a mulher do alvo principal da Coroados I".

Segundo o coordenador, Fadel Damião Belizário de Souza, vulgo FD, passou parte do comando da organização para sua mulher, Eliane Aparecida de Oliveira, presa hoje.

O promotor do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MPRJ (Gaeco), Diogo Erthal, explica que hoje foram presas pelo menos 11 mulheres, todas com relação afetiva com criminosos já presos em operações anteriores.

"Como eles estavam presos, não tinham como executar os atos de traficância aqui do lado de fora. Precisavam de alguém de confiança para repassar as ordens, recolher o dinheiro, cumprir os mandos lá de dentro das unidades. Eles sempre elegiam as esposas, as companheiras, que eram pessoas de confiança e normalmente acima de suspeitas ordinárias por aqueles que estão no dia a dia do policiamento no bairro. Foi possível identificar que mais de uma dezena delas, por conta desse relacionamento afetivo, depois migraram também para essa parceria na co-traficância".

Segundo Erthal, além de fazer a comunicação e recolher o dinheiro para repassar às contas determinadas pelos presos, as mulheres atuavam também na venda de drogas. "Elas tinham ali seus vapores, seus distribuidores, então elas atuavam também como traficantes nesses municípios de Valença e adjacências."

Na operação, um suspeito foi morto em confronto na Maré. Foram presas também sete pessoas em flagrante e outras quatro que tinham mandado de prisão expedido, mas sem relação com a operação deflagrada hoje. Em Valença houve a apreensão de um menor que estava com pinos de cocaína.

No balanço parcial da Operação Coroados II, foram apreendidos dois fuzis, sendo um AK-47 e um G3, um revólver calibre .38, um colete balístico, munições, celulares, rádios transmissores, cerca de 10 quilos de maconha, mil sacolés de cocaína e 30 veículos.

Um dos mandados de prisão era contra o traficante conhecido como Lúcio Flávio, que cumpria pena socioeducativa como menor de idade, mas completou a maioridade nessa condição e continuou articulando ações junto ao tráfico de drogas. Com o mandado de prisão, ele já foi transferido do sistema socioeducativo para o complexo penitenciário.

Outro preso é Bruno Gonçalves da Silva, vulgo Sapato, que já tinha cumprido pena por três vezes e estava envolvido na execução de um guarda municipal em 2012, na Maré.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos