PUBLICIDADE
Topo

Blairo Maggi defende integração de sistemas de avaliação de riscos no Mercosul

Olga Bardawil* - Repórter da Agência Brasil

21/12/2017 17h25

Durante reunião hoje (21) da 51ª Cúpula do Mercosul e Estados Associados, o ministro Blairo Maggi, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, defendeu a integração dos sistemas de avaliação de riscos sanitários, fitossanitários e ambientais entre os países do bloco. Em discurso, ele que disse que este é um ponto que a ser considerado prioritário na agenda do bloco comercial.   "Vamos avançar na harmonização de medidas sanitárias e fitossanitárias, otimizar custos e capacidades técnicas, facilitar o comércio regional, ter posições mais harmônicas em fóruns internacionais e condições melhores para negociar acordos de livre comércio", afirmou Maggi.  Acordos internacionais Sobre as negociações entre o Mercosul e a União Europeia, o ministro se mostrou otimista quanto ao fechamento de acordo entre os dois blocos econômicos. Segundo ele, a partir daí o Mercosul poderá incrementar o acesso a mais mercados e impulsionar a diversificação das suas exportações. A União Europeia responde por 13% do total das exportações e por 15% das importações mundiais, movimentando cerca de US$163 bilhões, de acordo com dados de 2016. Maggi também lembrou das negociações do Mercosul com a Coreia do Sul, que movimenta por ano aproximadamente de US$ 30 bilhões (2016) em importações de produtos agropecuários em todo o mundo e é um importante mercado para o agronegócio, com destaque para carnes, frutas e grãos. Com a presença do presidente Michel Temer, a 51ª edição da Cúpula dos Chefes de Estado do Mercosul e Estados Associados, foi realizada logo depois da Reunião do Conselho do Mercado Comum (CMC), órgão decisório de nível ministerial, que encerrou a Presidência Pro Tempore Brasileira (PPTB) do Mercosul, exercida durante o segundo semestre de 2017. Temer transmitiu hoje (21) a presidência pro tempore do bloco para o presidente do Paraguai, Horácio Cartes. Na reunião, os países assinaram acordos em áreas como direito do consumidor e liberação de compras governamentais. Além de Michel Temer, participaram da reunião do Mercosul em Brasília os presidentes Mauricio Macri (Argentina), Horacio Cartes (Paraguai) e Tabaré Vázquez (Uruguai) - países integrantes do Mercosul - Evo Morales (Bolívia) e David Granger (Guiana). Também estiveram presentes representantes do Chile, Colômbia, Equador, Peru e Suriname - estes na condição de associados. *Com informações da Coordenação-geral de Comunicação Social do Ministério da Agricultura (imprensa@agricultura.gov.br)