Começa em Viena o segundo dia das negociações de paz para a Síria

*Da Agência EFE

O segundo dia da nona rodada de negociações para a paz na Síria começou nesta sexta-feira (27) em Viena, com poucas expectativas de que as partes possam avançar para uma solução dialogada e acabar com a guerra que já dura sete anos. A informação é da Agência EFE.

A delegação da oposição síria, lidera pela chamada Comissão Suprema para Negociações (CSN), se reuniu primeiro com o mediador da Organização das Naçoes Unidas (ONU), Staffan de Mistura.

Para a tarde de hoje está previsto que a delegação do governo sírio se encontre com a equipe do mediador para apresentar suas propostas para avançar no diálogo.

A rodada de Viena, convocada para apenas dois dias, terminará hoje e está oficialmente centrada em calcular avanços para a elaboração de uma nova Constituição para a Síria.

Estas conversas acontecem a poucos dias do chamado Congresso do Diálogo Nacional para a Síria, convocado pela Rússia, principal potência militar estrangeira no conflito e que apoia o presidente deste país, Bashar al Assad.

A oposição síria, crítica com a abertura de novas iniciativas de paz, à margem da via da ONU, ainda não decidiu se participará da reunião na cidade russa de Sochi, no Mar Negro, na semana que vem.

Yehia Aridi, um porta-voz da CSN, disse hoje à imprensa na sede vienense da ONU que os opositores anunciarão hoje mesma sua decisão final sobre sua presença em Sochi.

"Não sabemos ainda. Esperamos anunciar hoje", declarou o representante da CSN, a principal aliança opositora síria.

Segundo a CSN, tudo depende do compromisso do governo sírio para continuar a via negociadora baseada na resolução 2254 do Conselho de Segurança da ONU.

Aridi destacou hoje que os opositores são "flexíveis" e estão "comprometidos" para alcançar o objetivo de "devolver a vida" à Síria, para que seja um "lugar seguro ao qual o povo (deslocado) possa voltar".

"Este é o segundo dia. Esta rodada é crucial porque determinará o compromisso das partes para implementar as resoluções do Conselho de Segurança da ONU, em particular a 2254", afirmou Aridi.

Esta resolução, de dezembro de 2015, exige um cessar-fogo e uma via negociada para pôr fim à guerra síria, que já deixou 400 mil mortos e milhões de deslocados.

* É proibida a reprodução total ou parcial desse material. Direitos Reservados

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos