Angra quer recuperar projeto Nado Livre para proteger banhistas nas praias

Douglas Corrêa - Repórter da Agência Brasil

A prefeitura de Angra dos Reis informou que vem trabalhando firme para recuperar o projeto Nado Livre, que utiliza uma barreira de boias para proteger os banhistas de pequenas embarcações que, em algumas ocasiões, navegam próximos a faixa de areia. A finalidade é reduzir o número de acidentes envolvendo embarcações que ultrapassam o local permitido e acabam passando próximo à faixa de areia onde estão os banhistas.

No feriado de sexta-feira da Paixão (30), quatro pessoas foram atropeladas por uma lancha na Baía de Ilha Grande, na localidade conhecida como Lagoa Azul, em Angra. Duas delas morreram e duas ficaram gravemente feridas. As vítimas faziam parte de um grupo de 20 pessoas que participavam de um passeio de saveiro e pararam para tomar banho de mar.

De acordo com a prefeitura, o Nado Livre é um projeto importante, pois além do ordenamento visa a segurança do banhista. É um projeto que demanda manutenção e, como ele foi abandonado. Hoje não há Nado Livre em vários lugares. O presidente da TurisAngra, João Willy Peixoto, disse que "nós estamos trabalhando primeiramente para recuperar o que existe e depois refazer o que não existe", explicou. 

Acidente

Duas mulheres atropeladas pela lancha foram transferidas para São José dos Campos (SP) no início da tarde deste domingo (1º). Também foram atropelados pela embarcação, Alexandre da Silva Leite, de 43 anos, que morreu na hora e Walquíria de Almeida Barros, de 29 anos, chegou a ser levada às pressas para o Hospital Geral da Japuíba, mas não resistiu aos ferimentos.

Camila Martinez Precoma, de 30 anos, e Natacha de Oliveira Soares, de 27, de São José dos Campos, vão continuar o tratamento na cidade onde moram. Elas passaram por cirurgia e estavam internadas no Hospital Geral da Japuíba. De acordo com a equipe médica, as duas tiveram amputação do quinto dedo do pé direito ( mindinho), além de lesões graves nos pés. Camila e Natacha estão lúcidas e reagindo bem ao tratamento.

O delegado de Angra dos Reis, Marcio Teixeira de Melo, disse que o condutor da lancha não tinha ingerido bebida alcoólica. Ele foi preso em flagrante por homicídio culposo e vai responder o crime em liberdade.

A Capitania dos Portos informou que apreendeu a embarcação para perícia e reteve o documento de habilitação do condutor para averiguações posteriores, conforme previsto na Lei de Segurança do Tráfego Aquaviário e nas Normas da Autoridade Marítima.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos