PUBLICIDADE
Topo

Um olhar sobre o mundo discute a transformação de Jerusalém em capital

23/04/2018 15h51

Os Estados Unidos devem inaugurar no próximo mês sua embaixada em Jerusalém e, no último dia 18, os judeus comemoraram os 70 anos de criação do Estado de Israel. Para debater esse cenário, o jornalista Moisés Rabinovici recebe no programa Um olhar sobre o mundo desta segunda-feira (23) a escritora e professora de História Árabe da Uuniversidade de São Paulo (USP) Arlene Clemesha e o cientista político e mestre em Diplomacia e Governo André Lajst. Ambos são observadores do conflito palestino-israelense e conhecem profundamente a história de Jerusalém, cidade que tem um valor simbólico para muitos povos e religiões. A professora Arlene Clemesha destaca que a declaração do governo norte-americano de declarar Jerusalém como capital é unilateral e que a cidade não tem esse reconhecimento pelas Nações Unidas e nem por outros países. "Há de fato um consenso que existe um grande problema, na medida em que Jerusalém é uma cidade disputada. O status final da cidade não cabe aos Estados Unidos definir", disse.  

Arlene Clemesha lembra que Jerusalém era uma cidade antigamente palestina, transformada a partir da primeira metade do século 20 durante o domínio britânico e com a imigração de judeus da Europa Oriental. Conforme a professora, pelo censo otomano, a maior parte da população de Jerusalém era árabe em 1870  e chegou, em 1949, a ter 60% da população judaica.  

Já o cientista político André Lajst  argumenta que houve vários censos em diferentes épocas que mostravam judeus ou árabes como a maioria dos moradores de Jerusalém, mas que a cidade sempre foi central para o povo judeu e que é natural que seja hoje considerada também politicamente como a capital do país. 

"No momento em que houve uma declaração de independência de Israel e as fronteiras foram reconhecidas pelo menos através de acordos de armistício entre Israel e Jordânia, Jerusalém Ocidental passa a ser reconhecida automaticamente como território de Israel. É inquestionável", disse o cientista político. Ele disse que toda a estrutura de governo de Israel está localizada em Jerusalém e que por isso a cidade tem que ser considerada a capital, o que fez o presidente norte-americano Donald Trump.

Um olhar sobre o mundo vai ao ar às 21h45, na TV Brasil