Presidente do Irã diz que manterá acordo nuclear

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, determinou hoje (8) ao Ministério de Relações Exteriores que intensifique as consultas à França, à Alemanha, ao Reino Unido, à Rússia e à China no esforço de manter o acordo nuclear, assinado em 2015. Pelo acordo, o Irã ficaria impedido de fabricar a bomba atômica.

Em discurso, Hassan Rouhani afirmou que o Irã poderá permanecer no acordo, se os interesses do país forem preservados. Ele demonstrou que espera apoio dos cinco países ao JCPOA (sigla em inglês de Plano de Ação Conjunto Global), que se refere diretamente ao acordo nuclear iraniano.

"Se, após a conclusão das negociações, pudermos trabalhar com esses cinco países [França, Alemanha, Reino Unido, China e Rússia] nos compromissos delineados no JCPOA que beneficiam a nação iraniana, então permaneceremos no acordo."

Rouhari disse ainda que o tempo de negociação deve ser curto e que em breve o país poderá voltar a enriquecer urânio. Segundo ele, foram solicitados à Organização de Energia Atômica do Irã (cuja sigla em inglês é AEOI) planejamentos para enriquecimento nuclear em nível industrial.

A reação do iraniano foi uma resposta à decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que oficializou a saída do pacto. Em transmissão na emissora oficial de televisão do Irã, a PressTV, Rouhani reagiu: "A decisão de Trump foi o início de uma guerra psicológica contra o Irã, nosso povo heroico não será afetado por esse ataque psicológico".

*Com informações da emissora oficial de televisão do Irã, PressTV.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos