Topo

Estado Islâmico reivindica autoria de atentados a igrejas na Indonésia

13/05/2018 12h51

O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) reivindicou neste domingo (13) responsabilidade pelos três atentados cometidos contra a comunidade cristã na Indonésia, no qual pelo menos 11 pessoas morreram e outras 40 ficaram feridas.  Em comunicado do EI divulgado através de canais jihadistas do serviço de mensagens Telegram, cuja autenticidade não pôde ser comprovada, o grupo garantiu que os ataques foram cometidos por "soldados do califado" e tiveram como alvo os "cruzados", como o grupo se refere aos cristãos.  Segundo o relato do grupo, o primeiro atentado foi cometido com um carro-bomba, o segundo por um suicida que vestia um colete de explosivos e o terceiro por uma motocicleta também equipada com explosivos.  Nas três operações de "martírio", segundo o EI, morreram 11 cristãos e seguranças das igrejas e outras 40 pessoas ficaram feridas. O diretor da Agência de Inteligência da Indonésia, Wawan Hadi Purwanto, atribuiu o ataque ao grupo Jemaah Ansharut Daulah (JAD), que é vinculado ao EI.  Os ataques aconteceram de forma sucessiva durante a missa de domingo em três igrejas - uma protestante, uma católica e outra pentecostal - em Surabaia, asegunda maior cidade do país, no nordeste da ilha de Java, cuja maioria da população é muçulmana.  Este é o pior ataque deste tipo no arquipélago asiático desde que uma série de atentados com explosivos em várias cidades mataram 18 pessoas e feriram por volta de 100 no dia 24 de dezembro do ano 2000. Itamaraty Em nota, o Ministério das Relações Exteriores informou que o governo brasileiro tomou conhecimento, "com grande consternação", dos ataques a bomba às três igrejas cristãs. "Ao apresentar suas condolências às famílias das vítimas, seus votos de pronta recuperação aos feridos e sua solidariedade ao povo e ao governo da Indonésia, o Brasil reitera seu repúdio a todo e qualquer ato de terrorismo", diz a nota.   *Com informações da Agência EFE