Paulinho da Força nega envolvimento em irregularidades

Investigado na Operação Registro Espúrio, que apura um complexo esquema de corrupção no Ministério do Trabalho, o deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da força (SDD-SP), negou hoje (30) envolvimento. Segundo ele, o partido Solidariedade não faz indicações para o Ministério do Trabalho.

"A minha citação sobre a Operação Registro Espúrio deflagrada hoje pela Polícia Federal não possui nenhum fundamento, senão criminalizar o movimento sindical como um todo", diz o parlamentar em nota.

Em seguida, acrescentou que "desconheço em absoluto os fatos investigados e esclareço que o partido Solidariedade não é o responsável pelas indicações no Ministério do Trabalho".

Na manhã de hoje, o Ministério Público Federal e a Polícia Federal cumpriram mandados de busca e apreensão nos gabinetes de três parlamentares, na Câmara. Além do deputado Paulinho da Força, são investigados Jovair Arantes (PTB-GO) e Wilson Filho (PTB-PB).

Mais de 320 policiais federais cumprem 64 mandados de busca e apreensão, 8 mandados de prisão preventiva e 15 mandados de prisão temporária, além de outras medidas cautelares no Distrito Federal, São Paulo, Goiás, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina e Minas Gerais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos