Gabinete de monitoramento do governo está reunido em Brasília

Ministros do gabinete de monitoramento do Palácio do Planalto estão reunidos desde o começo da manhã de hoje (31), em Brasília. Eles analisam os impactos das paralisações dos caminhoneiros, cuja negociação levou a um acordo, e dos petroleiros. A previsão é que o presidente Michel Temer participe.

A reunião ocorre no momento em que o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, e secretários executivos dos Ministérios da Fazenda e do Planejamento concedem entrevista coletiva para detalhar as medidas compensatórias adotadas pelo governo para arcar com as despesas causadas pelo acordo com os caminhoneiros.

Paralelamente, a Federação Única dos Petroleiros (FUP) orienta a categoria a suspender o movimento, deflagrado ontem, e denominado "greve de advertência" por 72 horas.

Plano de segurança

O Gabinete de Monitoramento foi criado pelo presidente  Temer e costuma se reunir duas vezes por dia. Ele foi instalado no último dia 26, quando o presidente acionou um plano de segurança para desobstruir rodovias e garantir a retomada do transporte de cargas.

As manifestações associadas à paralisação impactaram em todo país. Houve problemas de abastecimento de combustíveis, alimentos, medicamentos e outros produtos. Também foi afetado o funcionamento de empresas, colégios, hospitais, portos e aeroportos.

No último domingo, o presidente Temer anunciou um acordo com os caminhoneiros, incluindo vários pontos, entre eles, a redução em R$ 0,46 no preço do litro do diesel durante 60 dias.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos