PUBLICIDADE
Topo

Padilha diz que Temer avalia pessoalmente reajuste para o Judiciário

Marcos Souza/Nascimentosouzapress/Estadão Conteúdo
Imagem: Marcos Souza/Nascimentosouzapress/Estadão Conteúdo

28/08/2018 14h41

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou nessa terça-feira (28) que o presidente Michel Temer avalia pessoalmente como o governo tratará a proposta de reajuste salarial para o Poder Judiciário.

"O presidente está tratando desse assunto pessoalmente", disse o ministro, ao ser questionado sobre o tema. Padilha considera que é preciso tomar uma decisão coerente com o momento que o país enfrenta. "Todos que trabalham no Brasil no serviço público sabem a situação que a gente está enfrentando, e penso que teremos que ter decisões coerentes em relação a isso".

No começo do mês, o Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou reajuste de 16% no salário dos ministros da Corte, para 2019. O salário atual é de R$ 33,7 mil e com o aumento passará para R$ 39,3 mil por mês.

Na semana passada, o presidente Temer se reuniu com os ministros do Supremo Dias Toffoli e Luiz Fux para tratar dos "vencimentos do Judiciário", segundo nota divulgada pelo Planalto na ocasião.

A despesa do reajuste não está prevista pela Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), já aprovada pelo Congresso Nacional. Até o dia 31 de agosto, o governo deverá encaminhar ao Legislativo proposta para o Orçamento da União do próximo ano.

Conforme o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, o eventual aumento terá impacto mensal de R$ 18,7 milhões e de R$ 243,1 milhões em um ano.