PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Gilmar Mendes concede prisão domiciliar a empresário ligado a Crivella

22.dez.2020 - O ex-prefeito do Rio Marcelo Crivella é levado para fazer exame de corpo de delito após ser detido - Bruna Prado/AP
22.dez.2020 - O ex-prefeito do Rio Marcelo Crivella é levado para fazer exame de corpo de delito após ser detido Imagem: Bruna Prado/AP

27/02/2021 12h03

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes mandou soltar o empresário Rafael Ferreira Alves, preso em dezembro do ano passado na operação que teve como alvo o ex-prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella (Republicanos).

Na decisão divulgada hoje, o ministro substituiu a prisão preventiva por prisão domiciliar, com uso de tornozeleira eletrônica.

No dia 12 de fevereiro, Gilmar Mendes autorizou Crivella a deixar a prisão domiciliar. Com a decisão, o ex-prefeito não precisa mais permanecer em casa, mas deverá cumprir medidas cautelares como comparecimento periódico à Justiça, proibição de sair do país, de manter contato com outros investigados, além de entregar o passaporte à justiça.

No ano passado, o ex-prefeito foi preso em ação do MPRJ (Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro) e da Polícia Civil, como desdobramento da Operação Hades, que apura suposta corrupção na prefeitura da cidade e tem como base a delação do doleiro Sergio Mizrahy.

Na ocasião, a defesa de Crivella declarou que a decisão do ministro foi acertada, "na medida em que as gravosas restrições cautelares eram desnecessárias".

Política