PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias

Pagamento de bolsas de 60 mil estudantes de graduação está atrasado

Estudantes de graduação em pedagogia na Faculdade Rudolf Steiner, na zona sul de SP, em aula de pintura em aquarela  - Divulgação/Folhapress
Estudantes de graduação em pedagogia na Faculdade Rudolf Steiner, na zona sul de SP, em aula de pintura em aquarela Imagem: Divulgação/Folhapress

27/10/2021 16h33

O pagamento dos auxílios dos Programas Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) e de Residência Pedagógica está atrasado. Os programas são voltados à qualificação de futuros professores e atingem 60 mil estudantes de graduação em cursos de licenciatura, que recebem R$ 400 por mês.

Segundo a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), responsável pelo pagamento das bolsas, os recursos precisarão ser suplementados. "Os recursos necessários já foram disponibilizados pelo governo federal, mas o crédito precisou ser encaminhado via projeto de lei, já que não há mais permissão legal para a suplementação orçamentária por meio de ato do Executivo", declarou a Capes à Agência Brasil, em nota.

Para isso que isso seja viabilizado é preciso que o Congresso Nacional aprove um novo projeto de lei pelo para garantir a suplementação orçamentária que viabilize o pagamento dos benefícios desses programas aos estudantes.

Conforme o órgão, o projeto de lei com a suplementação de recursos deverá ser debatido na Comissão Mista de Orçamento ainda nesta quarta-feira (27). Posteriormente, precisará ser apreciado e votado no Plenário do Congresso.