PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Em São Paulo, estação de metrô abriga pessoas em situação de rua

Padre Julio Lancellotti, coordenador da Pastoral do Povo de Rua de São Paulo, visita as instalações na estação Dom Pedro II, no Centro de São Paulo, que foi aberta para acolhimento provisório de moradores de rua em razão da frente fria que afeta a cidade, na noite de terça-feira (17) - ISAAC FONTANA/CJPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Padre Julio Lancellotti, coordenador da Pastoral do Povo de Rua de São Paulo, visita as instalações na estação Dom Pedro II, no Centro de São Paulo, que foi aberta para acolhimento provisório de moradores de rua em razão da frente fria que afeta a cidade, na noite de terça-feira (17)
Imagem: ISAAC FONTANA/CJPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Da Agência Brasil

18/05/2022 11h42

A estação Pedro II do Metrô de São Paulo, na região central da capital paulista, está aberta para abrigar pessoas em situação de rua durante a noite até a próxima sexta-feira (20).

O serviço de acolhimento tem capacidade para atender até 100 pessoas, entre as 19h e 8h. É oferecido ainda jantar, por uma unidade móvel do Bom Prato, e café da manhã, na unidade do serviço na Rua 25 de Março.

Durante a madrugada de hoje (18), a sensação térmica chegou a -4º graus Celsius, na região do Aeroporto de Congonhas, zona sul da capital paulista, apesar dos termômetros marcarem 7º C, segundo a medição do Centro de Gerenciamento de Emergências. De acordo com o órgão municipal, 7º foi a média na cidade até o início da manhã, com previsão de máxima de 14º ao longo do dia. Amanhã (19), o frio deve continuar com as temperaturas variando entre mínima de 7ºC e máxima de 16ºC.

As ações da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social de São Paulo preveem ainda a distribuição de 900 cobertores e 2 mil sacos de dormir que serão distribuídos pela prefeitura da capital paulista em dez tendas espalhadas pela cidade.

A Defesa Civil estadual fará a distribuição de 500 colchões, 354 cestas básicas, mil litros de água sanitária e 200 kits de higiene pessoal.

O pedido de abertura do Metrô para os moradores de rua foi feito ao governo pelo padre Julio Lancellotti, que também abrirá a Casa de Oração do Povo da Rua, na Luz, e a São Miguel Arcanjo, na Mooca, para receber a população carente nos próximos dias.

*Com informações do UOL, em São Paulo, e agência Estadão Conteúdo

Cotidiano