PUBLICIDADE
Topo

Hamster ferido em CPI será mascote de crianças superdotadas

Bichos que foram soltos durante a CPI da Petrobras - Luis Macedo / Câmara dos Deputados
Bichos que foram soltos durante a CPI da Petrobras Imagem: Luis Macedo / Câmara dos Deputados

De Brasília

10/04/2015 20h04

O hamster ferido ao ser solto com outros quatro roedores no plenário da CPI da Petrobras na Câmara na manhã da última quinta-feira, 9, passa bem e já tem um novo lar.

Desde esta sexta (10) o animal está sob os cuidados de uma assessora da Casa e atende pelo nome de Cafuné. A jornalista Cláudia Guerreiro recebeu prioridade na fila de mais de 900 pedidos de adoção feitos ao deputado Ricardo Izar (PSD-SP), que ficou com a guarda dos animais.

A filha de Cláudia frequenta uma escola com sala de atividades para crianças superdotadas, caso da menina. O hamster será o mascote do grupo e terá seu novo nome votado pelas crianças. A mudança de endereço deve acontecer na terça-feira, dia 14.

Por enquanto, Cafuné está na companhia de outros dois roedores criados por Cláudia: a camundongo Eugênia e o esquilo-da-mongólia Genghis Khan, nome do guerreiro mongol que transpôs a Grande Muralha da China no século 13.

Os outros roedores que se tornaram notícia nacional também já foram adotados e não se machucaram na confusão.