Topo

Novo inquérito da PGR ao STF pede investigação da mulher e filha de Cunha

Pedro Ladeira/Folhapress
Danielle da Cunha, filha de Eduardo Cunha Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

De Brasília

2015-10-15T17:16:00

2015-10-15T17:41:09

15/10/2015 17h16Atualizada em 15/10/2015 17h41

No pedido que enviou ao STF (Supremo Tribunal Federal) para a abertura de novo inquérito para investigar o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a Procuradoria-geral da República também solicita a investigação da esposa de Cunha, Claudia Cruz, e de sua filha Danielle da Cunha. O pedido de abertura de inquérito é baseado nos documentos enviados pela Suíça que comprovam que Cunha possui contas naquele país. O pedido precisa ser avaliado pelo ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no STF.

Documentos enviados pelo Ministério Público da Suíça ao Brasil comprovam que um negócio da Petrobras em Benin, na África, irrigou as contas na Suíça que tinham Cunha e a esposa como beneficiários finais. As autoridades do país europeu bloquearam em abril um valor que, em reais e no câmbio atual, chega a R$ 9,638 milhões.

Segundo os documentos suíços, a conta aberta na Suíça em nome de Cláudia foi usada para pagar despesas pessoais da família do parlamentar. A movimentação dela serviu para pagar faturas de cartão de crédito, academia de tênis na Flórida e cursos na Espanha e no Reino Unido.

Entre 4 de agosto de 2011 e 15 de fevereiro de 2012, foram transferidos US$ 119,795 mil da conta de Cláudia à universidade espanhola Esade. A filha de Cunha, que é apontada como dependente em uma das contas, fez MBA na instituição no mesmo período dos pagamentos, entre agosto de 2011 e março de 2013.

Mais Notícias