Após Réveillon, 694,2 t de lixo são recolhidos no Rio

Rio, 01/01/2016 - A Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb), estatal da prefeitura carioca encarregada do lixo, recolheu 694,2 toneladas de detritos nos pontos de festa após o réveillon no Rio. Apenas na orla de Copacabana, na zona sul, onde cerca de dois milhões de pessoas celebraram a chegada de 2016, foram removidas 363,5 toneladas. Na contagem geral, houve aumento de 2% em relação a 2015, quando a passagem de ano gerou 680 toneladas de sujeira em todos os locais de comemoração. Em Copacabana, porém, onde no ano passado, a coleta fora de 370 toneladas, houve queda de 1,7%.

Desde as 6h de hoje (1º/01), 3.358 garis (1.165 deles só em Copacabana) e 344 profissionais de limpeza trabalhavam na limpeza da cidade. Apesar dos 1.455 contêineres instalados, houve muito trabalho para o recolhimento de garrafas, embalagens e outros itens. Para o apoio, foram usados 247 veículos e equipamentos como caminhões, pás mecânicas, caminhões-pipa, varredeiras e sopradores, entre outros.

Em Copacabana, dos resíduos recolhidos, 315,2 toneladas eram de lixo e outras 48,3 toneladas eram de itens potencialmente recicláveis. Nas praias da Barra da Tijuca e do Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste, foram removidas 115,8 toneladas ao todo.

Já no Parque Madureira, na zona norte, onde cerca de 60 mil pessoas comemoraram o novo ano, foram removidas 7,8 toneladas. A operação ainda percorreu o Piscinão de Ramos (15,9 toneladas), a Penha (três toneladas), a Praia do Flamengo (25 toneladas) e a Ilha do Governador (20,4 toneladas).

A Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), que atuou com apoio de guardas municipais, também apertou a fiscalização a partir da madrugada da quinta-feira, 31. Apenas na orla de Copacabana, foram apreendidos com ambulantes não autorizados 5.970 bebidas diversas, 686 produtos de bazar, 477 peças de vestuário, 88 quilos de alimentos perecíveis, 64 botijões de gás, entre outros itens. A fiscalização também desmontou 57 barracas de camping armadas irregularmente nas areias. O estacionamento em local proibido também foi alvo da operação, que rebocou 390 veículos na orla do Leme ao Leblon.

Atendimentos

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realizou 740 atendimentos nos cinco postos médicos montados na orla de Copacabana desde as 17h30 do dia 31/12. A maioria foi motivado por excesso de bebidas alcoólicas, cortes, dor de cabeça e mal estar. Ao todo, 46 pessoas precisaram ser removidas para hospitais da rede de urgência e emergência municipal. Os números foram menores do que no ano passado, quando foram realizados 909 atendimentos e 64 remoções, de acordo com a SMS.

A rede estadual de saúde, que vem operando com dificuldades devido à crise financeira do Estado, informou não ter um balanço dos atendimentos realizados em suas unidades na noite do réveillon. Desde o dia 18 de dezembro, a rede estadual opera com um Plano de Contingência, com auxílio do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar. A operação vigora até o dia 7 de janeiro.

"A medida já foi usada de maneira informal, pontualmente, em outras situações e faz parte do plano de contingência, traçado de forma preventiva, considerando que o período de festas de fim de ano é crítico no que se refere a escalas de plantão médico de urgência e emergência, historicamente com muitos registros de falta de funcionários. O objetivo é garantir o atendimento e a prestação de serviços de saúde à população", informou a Secretaria Estadual de Saúde, em nota.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos