Alckmin diz que Metrô reduziu tarifa por falta de moedas

Em São Paulo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou nesta terça-feira, 19, que a redução da tarifa em algumas estações de Metrô para facilitar o troco se deve à dificuldade para conseguir moedas em circulação. Nesta segunda-feira, 18, as estações República (Linha 3- Vermelha) e Santa Cruz (Linha 1 - Azul) vendiam bilhetes a R$ R$ 3,75.

"O Metrô tentou em todos os bancos e não conseguiu. Aliás, não é só o Metrô que está com dificuldade de conseguir moedas. Vamos tentar agora na Casa da Moeda. Agora, é preciso fabricar mais moeda", disse.

Desde que o reajuste entrou em vigor, em 9 de janeiro, aumentando o valor da tarifa de R$ 3,50 para R$ 3,80, são frequentes anúncios no sistema de som pedindo ao passageiro que facilite o troco.

De acordo com a Casa da Moeda do Brasil, no ano passado foram fabricadas 776 milhões de moedas. O número é superior à emissão de 2014 (400.496 milhões), mas três vezes inferior à de 2013 (2,3 bilhões).

Em nota, o Banco Central do Brasil explicou que a produção foi impactada em 2014 "por necessidade de redução da despesa pública no âmbito federal". "A área técnica do BCB tem envidado esforços para administrar os estoques disponíveis com a finalidade de atender de forma mais equânime possível às demandas", afirmou a instituição.

Em 2015, o Banco Central do Brasil disponibilizou 685 milhões de unidades de novas moedas, alcançando 116 moedas por habitante. De acordo com o banco, existem em circulação 23,829 bilhões de unidades de moedas ou R$ 5,96 bilhões em valor, o que corresponde a uma disponibilidade per capita de R$ 29 em moedas e 118 moedas por habitante.

O BC informou ainda que não é a única fonte de moedas metálicas. "Bancos e o comércio também podem captar depósitos em moedas com seus clientes, que poderão então ser disponibilizadas para recirculação".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos